terça-feira, 30 de setembro de 2014


Melissa Gurgel é alvo de racismo por ser do Ceará

A nação brasileira tem uma gama imensa de sotaques, onde cada um deles tem suas particularidades encantadoras, mas não deixam de ser sotaques.

Então ainda não consigo assimilar porque tem gente do sul do país, que fala com sotaque carregado e arrastado como de qualquer outra parte do Brasil, embora tenham a tola ideia de que não, continuam perpetuando preconceito ridículo e infantil quando se trata do delicioso sotaque nordestino?

A última bosta proferida pelas bocas e dedos dessas pessoas pobres de espírito e de cultura, foi pra cima de Melissa Gurgel, a bela cearense que se consagrou como “a mulher mais bonita do Brasil”, no sábado passado, e foi metralhada por conta de seu sotaque e origem nordestina. Algo que mostra o quanto essa gente de merda ainda precisa evoluir! Já que teimam em agir como se fossem umas amebas irracionais! Aliás, acho até que no protozoário existe mais vida inteligente do que nesse povo...

Seria ótimo que esse povo que adora falar mal do nordeste e dos nordestinos, também esquecessem de nossas praias e carnaval na hora de traçar o roteiro de férias! Que esquecessem que a nossa região é a mais rica no quesito cultural! Afinal, grande parte dos artistas brasileiros que o mundo e o país prestigia, são de nordestinos, bando de hipócritas!






Fotos: Reprodução


“Sou totalmente livre de preconceitos e lamento muito que as pessoas se limitem a julgar os outros pelo que elas aparentam ser e pelas suas características culturais. O nosso país é tão desenvolvido e acolhedor que é desnecessário ainda acontecerem situações tão retrógradas como o que aconteceu comigo. Amo o meu Estado e tenho muito orgulho de ter nascido onde nasci. Me coloca à disposição de todos para que conheçam a Melissa por detrás do sotaque e da beleza. Todos os seres humanos deveriam ser acolhidos dessa forma, pela sua essência. E eu quero mostrar a minha", declarou Melissa Gurgel ao EGO
 

A Primavera / Verão de Elie Saab

Aqui no Pimenta pouco falo sobre os desfiles que acontecem nas semanas de moda internacionais por um simples motivo: já tem um monte de blogayras de muóda comentando com muito mais “know how” do que minha diva pessoa, né verdade? Outro fato é que Chanel, Gautier, Dior, Armani, Givenchy, etc. e tal, estão bem longe do meu pobre bolso. 

Então, pra que vou ficar babando por esses desfiles se a carteira não será aberta pra consumir essa rica moda? E até atento para o fato de que nem tudo é lindo só porque vem de uma grife de luxo e me enervo por demais em ver pessoas se derretendo por determinada peça só porque ela tá carimbada com um logo luxuoso, mesmo que a tal peça mais pareça saída do closet de uma bruxa do 71...

  
Mas existem tem 3 grifes super glamorosas que, não posso negar, faço questão de vê-las sempre que apresentam novas coleções, são elas: Marchesa, Zuhair Murad e Elie Saab. Essa última, inclusive, desfilou, ontem, na Semana de Moda de Paris e me surpreendeu bastante e não sei se pelo lado bom da força, pois achei que a marca meio que deu uma suavizada em seu rotineiro luxo, mostrando em cena uma mulher mais jovem e moderna, algo que meio que tirou um pouco daquela suntuosidade toda que eu tanto gostava.

Dá uma catada nas imagens, lembrando que basta clicar em cima delas para que aumentem mais do que o seu temor quando chega a fatura do cartão, e me falem o que acharam.


Fotos: Reprodução



Ruim não está, é claro e evidente. Mas eu esperava mais, não vou mentir pra ficar feio!!!