RSSTwitter

sexta-feira, 20 de novembro de 2009


DVDicas: Cores

Desde que me conscientizo por pessoa que sempre fui contra essa história de Dia do Idoso, do Índio, do Orgulho Gay, da Mulher, etc. Acho esse tipo de coisa uma forma tão mais preconceituosa da sociedade justificar e maquiar sua falta de interesse com essas "homenagenzinhas", já que o que parece é que as tão decantadas minorias só merecem respeito em um dia do ano, restando os outros 364 dias para serem ignorados, esculachados e desrespeitados. Afinal de contas o que importa o credo, a cor ou a sexualidade do ser humano? E se você se respeita e quer também o ser, porque não pode fazer o mesmo por outros diferentes nuances existentes na nossa humanidade?

Ah, sei que esse assunto é deveras profundo para se debater aqui no nosso Pimenta, porém ainda sonho com o dia em que esse tipo de atitude seja apenas motivos de risos para quem ainda cultive o preconceito, pois todos somos exatamente iguais perante à Deus.

E que isso aconteça o mais breve, para que não se precise celebrar em apenas um único dia e sim homenagearmos sempre a vida e uns aos outros. E também para que nunca se faça necessário dar cor à uma consciência...




A Cor Púrpura
( The Color Purple, EUA, 1985)

Georgia, 1909. Em uma pequena cidade Celie (Whoopi Goldberg), uma jovem com apenas 14 anos que foi violentada pelo pai, se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de procriar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã, e é doada a "Mister" (Danny Glover), que a trata simultaneamente como escrava e companheira. Grande parte da brutalidade de Mister provêm por alimentar uma forte paixão por Shug Avery (Margaret Avery), uma sensual cantora de blues. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie (Akosua Busia), missionária na África. Mas quando Shug, aliada à forte Sofia (Oprah Winfrey), esposa de Harpo (Willard E. Pugh), filho de Mister, entram na sua vida, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.

Estrelando: Whoopi Goldberg, Danny Glover, Margaret Avery, Oprah Winfrey, Willard E. Pugh.

Dirigido por: Steven Spielberg



O Massacre de Rosewood
( Rosewood, EUA, 1997)

No início de janeiro de 1923, na Flórida, a comunidade negra de Rosewood é atacada, queimada e tem parte da população morta por brancos de uma cidade vizinha em um espaço de quatro dias. Tudo isto pelas falsa alegações de uma mulher branca (Catherine Kellner), que foi espancada pelo amante (Robert Patrick) também branco mas teve medo de contar ao marido (Loren Dean) e achou mais "conveniente" dizer que tinha sido atacada por um negro. O xerife (Michael Rooker) tem dúvidas quando a veracidade dos fatos, mas é uma verdade que convêm, pois permite aos brancos darem vazão ao seu enorme preconceito. Mas um negro, que tinha chegado recentemente em Rosewood e pretendia se estabelecer por lá após ter lutado na Grande Guerra, decide combater os agressores e salvar quantos negros forem possíveis. Para isto pede auxílio ao único comerciante branco de Rosewood, que não sabe se fica com os brancos ou com a verdade.

Estrelando: Jon Voight, Ving Rhames, Don Cheadle, Bruce McGill, Lorean Dean, Esther Rolle, Michael Brooke

Dirigido por: John Singleton



Um Grito de Liberdade
( Cry Freedom, Inglaterra / EUA, 1987)

Nos anos 70, na África do Sul do apartheid, Donald Woods (Kevin Kline) é um jornalista branco que conhece e se torna amigo de Stephen Biko (Denzel Washington), o importante militante pelos direitos dos negros. Quando Biko é morto na prisão em 1977, Woods percebe a necessidade de divulgar a história do ativista, a perseguição que sofreu, a violência contra os negros, a crueldade do regime do apartheid. Mas ele e sua família também se tornam alvos do racismo, e precisam deixar o país às pressas.

Estrelando: Kevin Kline, Denzel Washington, Penelope Wilton, Kevin McNally, Timothy West, Juanita Waterman, John Hargreaves.

Dirigido por: Richard Attenborough



Faça a Coisa Certa
( Do The Right Thing, EUA, 1989)

Sal (Danny Aiello), um ítalo-americano, é dono de uma pizzaria no Brooklyn, (lá também há um armazém cujos donos são coreanos), juntamente com Vito (Richard Edson) e Pino (John Turturro), seus filhos, além de ser ajudado por Mookie (Spike Lee), um funcionário. Com predominância de negros e latinos, o local é uma das áreas mais pobres de Nova York. cultua decorar seu estabelecimento com fotografias de ídolos ítalo-americanos dos esportes e do cinema, o que desagrada sua freguesia. No dia mais quente do ano, Buggin Out (Giancarlo Esposito), o ativista local, vai até lá para comer uma fatia de pizza e se desentende com Sal por não existirem negros na Parede da Fama dele. Sal retruca dizendo que esta parede é só para ítalo-americanos e se Buggin Out quer ver fotos dos irmãos que abra sua própria pizzaria. Notando que não vê nenhum italiano para proteger Sal, Buggin passa o resto do dia tentando organizar um boicote contra a pizzaria. Este incidente trivial é o ponto de partida para um efeito dominó, que vai gerar vários problemas.

Estrelando: Danny Aiello, Ossie Davis, Ruby Dee, Richard Edson, Giancarlo Esposito, Spike Lee, Paul Benjamin, Samuel L. Jackson.

Dirigido por: Spike Lee



Amistad
( Amistad, EUA, 1997)

O navio negreiro espanhol La Amistad é capturado na costa dos EUA, depois que os 53 africanos a bordo se amotinam. Durante o julgamento dos escravos, vários interesses entram em jogo: a luta abolicionista, a reeleição do presidente americano, as boas relações internacionais (entre EUA e Espanha, dona do navio). Diante das proporções que o evento toma, o ex-presidente John Quincy Adams (Anthony Hopkins), um abolicionista não assumido, resolve sair da sua aposentadoria voluntária para defender os africanos na Suprema Corte Americana.

Estrelando: Anthony Hopkins, Morgan Freeman, Matthew McCounaughey, Nigel Hawtthorne, Anna Paquin, Djimon Hounsou, Jeremy Northam, Arliss Howard, Stellan Skarsgård, Pete Postlethwaite.

Dirigido por: Steven Spielberg



Tempo de Matar
( A Time To Kill, EUA, 1996)

Carl Lee Hailey (Samuel L. Jackson) fez justiça com as próprias mãos depois que o sistema legal não puniu adequadamente os dois homens que, brutalmente, espancaram e estupraram sua filha pequena. Normalmente, um pai poderia contar com alguma simpatia do júri nessas circunstâncias. Porém, Carl é negro, todos os jurados são brancos e os eventos acontecem no Sul dos EUA, tradicionalmente racista, especialmente após a abolição da escravatura no país. Para piorar as coisas, a KKK local ganha força novamente. Quando Carl escolhe o novato Jake Brigance (Matthew McConaughey) como advogado de defesa, começa a parecer que ele quer desistir e que a carreira de Jake vai acabar prematuramente.

Estrelando: Matthew McConaughey, Samuel L. Jackson, Sandra Bullock, Kevin Spacey, Brenda Fricker, Ashley Judd, Donald Sutherland, Kiefer Sutherland, Darrin Mitchell.

Dirigido por: Joel Schumacher

Postado por: Alessandro Araújo, às 19:40h

31 comentários:

disse...

Nossa Tempo de matar e A cor púrpura são maravilhosos!
Acho válido algumas datas, mas esse feriado de hj (20/11) acredito ser desnecessário. Parece q fica embutido uma certa diferença entre os seres humanos de cores diferentes.

Eu coloquei cores, pq uma vez estavamos viajando e tinha um arco-iris lindo na estrada, bem nítido e meu filho q tem 4 anos, virou e falou:
- Mãe o "aco-iris"!!! Tem cores, igual "gentes".

Qdo ele falou, eu fiquei muda! Pela sagacidade do pensamento, da delicadeza do pensamento ou de alguém ter ensinado mesmo e ele ter aprendido!

Eu acredito q por mais q se invente datas, festividades, isso se aprende em casa. Mostrando q os seres humanos são diferentes, como tudo na natureza. Não esqueço jamais de um livro do Ziraldo chamado O Menino Marrom, q minha mãe me deu qdo eu era criança. A história genuína, tudo me marcou. Isso é importante, a educação.

B. Ladyhawke disse...

Bah, A cor púrpura e Amistad são dois dos filmes que eu mais gosto e mais me mato chorando quando assisto. Acho tão injusto, mas tão injusto que chego a passar mal. Odeio isso, odeio...

Cassiana disse...

Como sempre lindas palavras p/ um assunto que a maior parte de nos faz de conta que soh acontece com outros, em outros lugares...como brasileira "legitima" tenho tudo e mais um pouco no sangue - negro, indio, italiano, portugues, italiano de novo... mas vivendo em Vancouver - Canada onde 51% da populacao eh de imigrantes vc fica muito mais atento a diferencas - raciais, culturais, religiosos - nao eh dificil ver pelas ruas uma mucumana, outra de mini-saia mais parecendo com um cinto e homosexuais de maos dada (casamento gay eh legalizado no Canada, como eh o aborto)nao eh perfeito pq o ser humano esta muito longe disso mas, acredito que eh o mais perto que se pode chamar de um lugar civilisado...Ale tem um documentario que esta em cartaz aqui- Prom Night in Mississippi (Noite de Formatura em Mississippi) http://www.imdb.com/title/tt1334555/ onde existe uma formatura p/ brancos e outra p/ negros ...em 1997 Morgan Freeman ficou sabendo sobre essa separacao e se ofereceu p/ pagar pela festa, desde que ouvesse integracao. A Oferta foi recusada. Ele ofereceu novamente em 2008 eles aceitaram e dai surgiu o documentario. Vale a pena assistir...bjos e otimo final de semana.

Lady Gaga disse...

Eu também detesto essa coisa de dia do Idoso,dia do Gay,dia da empregada,dia do negro etc....As vezes acho tudo isso muita hipocria.Eu acho que o ser humano tem que ser respeitado todo dia independente da cor,raça,da religião,da idade etc.A Cor Púrpura é um filme que me fez refletir muito sobre os desafios que essa mulher sofreu ao ser abusada pelo pai ,a vida submissa ao casar com um homem que nunca amou e o amor entre irmãs. Esse foi um dos filmes que me fez chorar .

Lulu disse...

Também sou contra isso de dia do Negro, do Indio, da Mulher, blábláblá. Todo dia é dia de todo mundo!!! Acho isso extremamente preconeituoso, é igual pessoas que chamam negros de "moreninhos" - negro é negro e não tem que se envergonhar da cor da pele. Que bom que existe diversidade, é isso que torna as pessoas interessantes: etnias, credos, culturas e opiniões diferentes.

Katia Bonfadini disse...

Alessandro, adorei seu texto hoje e concordo com você em gênero, número e grau. Acho que já vi todos os filmes listados, mas A COR PÚRPURA foi o que mais me emocionou. Outro dia fiquei meio abobada com um formulário que tive que preencher pra validar um certificado internacional de vacina contra a febre amarela. Uma das perguntas era COR e não haviam opções de múltipla-escolha. Eu fiquei confusa e não sabia o que preencher, além de achar a pergunta absolutamente desnecessária. No Brasil, posso ser considerada "branca", mas no exterior, não. Sou latina, tenho cara de árabe e também não me encaixo em "mulata" nem "negra". Por que e pra que rotular? Deixei o campo em branco... Beijos!

Ana Cristina disse...

Oi ALê!
Adorei o post. Você sabe q sou negra, hoje estou desbotada então entro no clube das moreninhas, mas quando o verão chega, bastam 15 minutinhos para os vizinhos me olharem de cara torta. Acho engraçado pq já perdi emprego, oportunidades dentro de um emprego, já sofri preconceito de família de um ex, no prédio em q moro algumas dondocas me perguntam se tenho horário para faxina e depois se desculpam dizem q não queriam ofender (por q? por me chamar de faxineira? - profissão digna e honesta - ou por dizer entre dentes que uma negra não pode morar no mesmo lugar? Meu marido se revolta mas eu hj em dia nem ligo, dane-se. Sou uma pessoa acima disso tudo, claro que acho graça qdo as dondocas me vêem sair de carro importado a cara de indignação é hilária até pq estou sempre de vestido e rasteirinha o q incomoda muuuito mais....
Aprendi que todos são pessoas ótimas, tenho amigos brancos, negros, asiáticos, homem, mulher, homossexuais, nerds, pattys, teens, idosos e TODOS têm alguma coisa para acrescentar na minha vida e essas pessoas me ensinaram a ver as coisas de outro jeito...não gosta da minha cor..problema é seu, não gosta do meu amigo gay...azar o seu tb!
Para finalizar vou te contar uma...uma vez deixaram om comentário anônimo no blog me perguntado pq eu falo de moda se sou negra? e outras meninas que se acham "it girls" (isso não tem nada a ver com o blog da verdadeira It girl a Alê G.)pararam de entrar em contato depois que coloquei minha foto no blog....quer saber? Não sabem o que estão perdendo, não preciso de gente assim... rsrsrsrs

Ana Cristina disse...

A propósito...já viu o filme Cadillac Records, é ótimo!

Alanna Caldas-Parnaíba-PI disse...

Alêêêê.......... A minha réplica não cabe nesse espaçinhooooo! kkkkkkkkkkkkkkkk... Bom dia spice!!!

Kaira disse...

*Ana, tô chocada com o seu testemunho, chocada com as atitudes das pessoas!
Triste, muito triste...
*Rê, que coisa linda, seu filho é um sábio!!!
Bjs!

Lulu disse...

Ana, também estou pasma - como as pessoas são preconceituosas e sem noção. Cabeça pequena, alma pequena... Sabe o que é o mais engraçado? É quando essas pessoas viajam para os USA ou Europa e são tratados com preconceito por não serem brancas para os padrões de lá. Haha, pimenta nos olhos dos outros... rsrsrs.

Alessandro disse...

Rê interessante isso de seu filho, e realmente temos que nos educar em casa, pois fora dela teremos sempre o conceito que talvez não seja o certo, mas que também pode ser, dependendo dos pais.

Alessandro disse...

Lady Gaga esse filme realmente é super tocante e lindo demais! beijos

Alessandro disse...

Casiana o danado é isso, pois sempre arrumam uma forma de cultivar preconceito, e não só com negros, homossexuais, ou o que quer que seja, e isso é triste mesmo. vou procurar ver esse documentário, pois achei super interessante a abordagem. beijos

Alessandro disse...

pois é Lulu, também detesto escutar negros sendo chamados de morenos, isso soa tão nojento! nada de negar sua cor, pleo contrário, ter ogulho, pois é uma cor lindaaaaaaaaaaaaaa! e não envelhece tão fácil. rsrsrsrs

Alessandro disse...

Katia são essa necessidade de rótulos que acabam nos confundindo, né? Sou totalmente contra! humano é humano e pronto! temos que ser medidos por caráter e não por cor, classe ou credo. beijos

Alessandro disse...

Ana Cristina concordo contigo, não temos que nos perder com esse tipo de gente que pesam as pessoas por algo assim. esse tipo de gente não merece nossos pensamentos. e acho um absurdo isso, pois como já falei aqui no blog acho sempre que os negros em questão de elegância e beleza arrasam até muito mais que os brancos, e isso independe da classe social, pois enquanto brancos pobres não se sobressaem, os negros conseguem ter uma elegância naturaral. me orgulho de ser filho de negro, apesar que mau caratismo existem em todas as cores, e não se deve pré julgar pessoas por isso. beijos.

Alessandro disse...

ai Ana ainda não vi o Cadillac Records não! louco para conferir a performance da Bey. beijos

Alessandro disse...

Alanna vc deve falar sim! Tente dizer até onde cabe. Beijos

Alanna Caldas -Parnaíba-PI disse...

São muitos argumentos AlÊ, 1-Religiosos,(que são os mais fortes pra mim)2-Sociais e 3-Científicos. De todo coração, se começarmos vai ficar feio vc pedir pra eu parar de novo! lembra? Mas creio que hoje as pessoas, em sua maioria leigos, fazem uma confusão com as palavras. Preconceito, minorias, RESPEITO, falam demais e sabem de menos, chega a ser ridículo! Já ouviu essa frase alê? "Não gosto dos donos da razão"! Pois é, puramente LEIGA e MALICIOSA vc não acha? As pessoas não sabem nem o que dizem hoje em dia. Querem viver da maneira delas e querendo incutir isso de qualquer jeito no rol das coisas "normais". Definitivamente não aceito, não creio e não apoio. Um sociedade sem regras, ela alto se destrói" e defenderei isso enquanto viver. bjs viu! Gostaria de lhe conhecer pessoalmente.

Inês disse...

Adorei este blog. Estou me mijando de rir. Vou ter q me jogar e ler todo!!!
O primeiro texto q li, Cores, é um verdadeiro "toma na cara". Bem dado. Concordo 1000% com o q foi dito. Ah, alguém me explica o que é Parada "Livre" (do quê?). Ninguém gostou da troca "sútil"(pra quem?). Vamos voltar a ter a Parada Gay? Espero.
Virei fã do blog de cara e vou indicar pras minhas amigas.
Parabéns!!! vida inteligente e divertida é tuduuuuuuuuuuuuuu que a gente precisa!!!!

L i l y disse...

Alê, adorei teu texto! Como sempre, vc trata de assuntos sérios com extrema sensibilidade. Rê, q coisa mais linda o que vc contou do seu filho! E, o comentário da Ana sobre o q acontece com ela, foi tão surreal q eu n sei nem o q dizer... às vezes a gente se admira (de uma forma negativa) de como as pessoas podem ser... :(

Bjos a todassss e pra tu Alê rss

Rosana disse...

Eu não acredito no comentário da Alanna..................querida, ser normal é aceitar a própria essência! Ir contra isso é que é anormal!Isso é assim desde que o mundo é mundo!
E sabe porque você acha que homosexualismo é errado? Porque desde os tempos dos romanos (e muito antes até) eles o eram, e o povo que criou a bíblia era escravo deles, então tudo que eles faziam normalmente, era considerado errado pelo povo, e...virou pecado!
Mas era da natureza deles há milhares de anos, não me venha falar que não é natural!
Só deixou de ser aceito!
Se fosse seguir pela cartilha da Igreja, eu não tinha sido nem batizada, pois sou filha de mãe solteira.......bem, vou parar por aqui , pois religião é uma coisa, mas igreja tem seus podres, e não quero criar atritos!
Reveja seus conceitos querida, pois se sua filha quiser arrumar uma namorada vc vai querer matá-la então....

Lady Gaga disse...

Rosana pois eu já vou discordar de vc porque eu acho que a Alana não precisa rever seus conceitos pois ela já tem seus conceitos formado.Liberdade de expressão existe e não devemos querer impor aos outros a acreditar naquilo que queremos e querer firmemente determina o que o outro tem que fazer ou não.Eu foi criada numa familia bem religiosa e sempre respeitei os homossexuais e se acredito ou não se ele estão certos ou errados não cabe a mim julgar a vida de ninguém mais respeitar como ser humano com dignidade e amor porque respeito se conquista não se impõe.

disse...

Q nós temos nossos pré-conceitos isso é óbvio.
Eu acho q o q é fundamental, é vc RESPEITAR o desejo de viver, de ser das pessoas.
Como eu disse, eu tenho um filho de 4 anos. E eu digo do fundo do coração e com toda racionalidade, eu não teria problema nenhum em aceitar se ele fosse homossexual.
Sabe pq? Pq no fundo eu não tenho esse DIREITO de aceitar ou não! A vida sexual do meu filho, só dirá respeito à ele. Assim como a minha vida sexual!!
O meu pensamento é esse! Pq minha mãe sempre respeitou minhas escolhas, lógico q orientando, conversando....mas só! Pq esse é o papel dos pais.
O meu papel é esse, orientar, prevenir, aconselhar ele em relação ao seu corpo, a se cuidar, a cuidar das pessoas q irão se relacionar com ele, respeitar seu corpo, sua mente, seu coração e o dos outros. É isso q eu passo para ele.
Eu como mãe não tenho o direito de me sentir mal, da opção sexual do meu filho. Pq eu não acho q ninguém tem o direito de se sentir mal com a minha sexual, q só diz respeito a minha pessoa!!!
Volto a dizer, o q não aceito é meu filho fazer mal a outra pessoa, desrespeitar, destratar, não ser honesto, mau caráter, ser uma pessoa suja, q joga e brinca com os sentimentos dos outros...isso eu jamais vou aceitar!
De resto é a vida dele, as escolhas dele e eu quero estar do lado dele! Assim como minha mãe é do meu.

Alessandro disse...

Alanna embora não concorde com sua visão, é a sua visão né? tem que respeitar

Alessandro disse...

Inês seja bem vinda ao nosso cantinho. Beijos e arrasa!

Alanna Caldas-Parnaíba-PI disse...

VERDADE!!!

Alanna Caldas-Parnaíba-PI disse...

VERDADE!!!

Alanna Caldas Parnaíba-PI disse...

**Rosana Eu creio no Deus que EU SIRVO! Jesus Cristo te abençoe. E olha, eu desejo, desejo mesmo que um dia vc tambem possa abrir seu coração pra ter um encontro com a verdade e a vida! Jesus Cristo. O único que salva e liberta. Se quiser , dê uma lida aqui II CORINTIOS, CAP.13 Versículo 8, aliás, vc já leu a Bíblia?? Deus te abençoe!

Alanna Caldas- Parnaíba-PI disse...

http://www.youtube.com/watch?v=4aMxhyfS8BM


Aqui também é show!!!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs