RSSTwitter

sexta-feira, 29 de outubro de 2010


Marilyn’s Secret Diaries



Um mito não morre jamais. A prova disso é que muitos anos após sua morte,  Marilyn Monroe ainda disperta interesse e curiosidade a respeito de sua vida (e morte): ela é capa da Vanity Fair deste mês, que traz trechos de anotações e poemas escritos pela musa em seu diário até então secreto. Os escritos que permaneceram escondidos durante anos, foram revelados e deram origem ao livro Fragments, de Anna Mizrahi, ex-mulher de Lee Strasberg, professor de Marilyn.
No diário, que ela começou a escrever aos 17 anos, Marilyn conta que chegou a sofrer abuso sexual, fala da sua separação do dramaturgo Arthur Miller, e em outro trecho afirma ter medo de Peter Lanford, ator, que posteriormente foi acusado de participar de complô para matá-la, sendo a última pessoa a falar com a atriz: ''Acho que Lawford pode me machucar, me envenenar. Eu pensava que ele fosse gay e que quisesse ser uma mulher. Acho que ele gostaria de ser eu.''
A matéria completa você pode ler aqui, vale a pena.

Imagens: Reprodução Vanity Fair

Sinto que a vida se aproxima quando o que eu mais quero é morrer“.

A maior estrela que Hollywood já conheceu era linda, solitária, e triste demais...

12 comentários:

nena disse...

Adoooooro ela, uma mulher subjulgada, e abusada por muitos!! Ela era brilhante em todos os sentidos e não a loira burra que praticamente todos os seus papéis no cinema representavam. Nunca mais teremos uma estrela como ela!

Audri Aline disse...

Isso prova que beleza nem sempre é sinônimo de felicidade... uma pena!

Anônimo disse...

Confesso q depois q li a biografia Marilyn&JFK desmitifiquei um pouco sua imagem. Além de chocante a biografia, ela se mostra uma mulher meio patética, insegura, nada da imagem física q ela passa. Fora q não deixa de ser chocante pensar q ela possa ter feito nada mais, nada menos q 13 abortos e q tenha se prostituído p/ganhar papéis.
Na verdade... ela nasceu na e´poca certa, pq dificilmente hj faria sucesso.

Alessandro disse...

tadinha, não foi feliz em vida

FerNanda disse...

Já li algumas biografias dela e fiquei muito ansiosa para ler Fragments. Espero que não demore a chegar por aqui.

Kaira disse...

Tinha tudo e não tinha nada, né?!
Linda numa época que a imagem não era retocada no photoshop...
Bjs!

nena disse...

Anômimo a questão dela ter feito abortos e se prostituido não interfere em nada sobre o seu talento! Mas realmente é muito possível que ela não fizesse sucesso hj num mundo que venera subatrizes com um rostinhos bonitos e nada de talento. E em tratando de baixaria tb temos vários exemplos de famosas hj em dia.

disse...

Ai gente desculpe....ela foi um ícone e tal, mas talentosa mesmo? Não acho, tanto é q seu talento como atriz sempre foi muito contestado, principalmente pq naquela época tinhamos Grace Kelly, Audrey Hepburn, Rita Hayworth, Ava Gardner e tantas outras.
O q fez a diferença é q a Marilyn foi a pioneira em fazer o papel de loira ingênua burra e essa imagem vendeu. Juntamente com os escândalos e seus amores.

Alterego disse...

Não foi feliz mesmo...
porém há muitas histórias intrigantes a envolvendo. teve uma vida, mesmo que curta, muito polêmica...

Alterego disse...

Não foi feliz mesmo...
porém há muitas histórias intrigantes a envolvendo. teve uma vida, mesmo que curta, muito polêmica...

Leocádia disse...

Tenho hojeriza desse povo que ainda quer lucrar em cima da imagem da mulher, assim como foi em vida!!!!!
Em tempo: não sei inglês, portanto não li a matéria da revista.

DRICO disse...

MEDO DO PÉ DELA NA FOTO DO MAIÔ LISTRADO....

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs