RSSTwitter

terça-feira, 21 de junho de 2011


Os Corvos de Avalon

Quem acompanha o blog sabe que sou fã declarada de As Brumas de Avalon e os demais livros relacionados, como Os Ancestrais de Avalon, A casa da floresta, A Sacerdotisa de Avalon, A senhora de Avalon e a Senhora do Trílio. Pois outro dia estava "peruando" em uma de minhas livrarias preferidas e dei de cara com Os Corvos de Avalon. Quase tive um chilique!!! Claro que comprei na hora! Levei para ler durante a viagem (não viajo sem livro de jeito nenhum!) e não me arrependi.

Como a autora Marion Zimmer Brdley já faleceu, este livro, assim como Os Ancestrais de Avalon, foi finalizado pela sua colaboradora Diana L. Paxton. A Senhora dos Corvos é um romance baseado em fatos históricos, e conta a história da vida de Boudica, personagem real, rainha que liderou um levante das tribos britânicas contra os invasores romanos. Não é tão bom quanto As Brumas de Avalon, mas garante horas de leitura agradável e prazeirosa...


Foto: reprodução

Mulheres fortes que desafiam o poder para defender seu povo e suas crenças são as protagonistas de Os corvos de Avalon, mais um volume da saga fantástica imaginada por Marion Zimmer Bradley e desenvolvida por sua colaboradora Diana L. Paxson. A lendária rainha celta Boudica, que liderou uma revolta contra os invasores romanos, mistura-se a personagens ficcionais no livro, que relata sua amizade com a sacerdotisa druida Lhiannon.

Segundo Diana L. Paxson, este é o livro de Mario Zimmer Bradley com maior cuidado às referências históricas. Afinal, Boudica tornou-se uma figura lendária cultuada pelos britânicos que chegaram a relacioná-la, no século XIX, à rainha Vitória, a soberana que esteve no poder por quase 40 anos - o mais longo reinado entre os monarcas britânicos. Partindo de uma idéia de Marion Zimmer Bradley, de que os chefes nativos da Britânia enviariam seus filhos para estudar em Avalon, Diana desenhou uma ligação entre Boudica e Lhiannon, criando um romance histórico entrelaçado ao universo de fantasia criado por Marion, apresentando as origens do que seria a lenda de Camelot, do Rei Artur e dos Cavaleiros da Távola Redonda.

O livro apresenta a conquista da Britânia pelos romanos pela ótica das jovens Lhiannon e Boudica, que se conhecem na ilha de Mona (hoje, Anglesey), um importante santuário druida, a noroeste do atual País de Gales. Atendendo a interesses políticos, Boudica se casa com o Prasutagos, rei dos icenos, que viviam na atual região de Norfolk. Lhianon, que vive o dilema de assumir seu amor por um outro sacerdote ou manter-se virgem e casta para atender ao desejo de chegar ao posto de grande sacerdotisa, vai encontrar a amiga quando Prasutagos morre. Boudica protesta quando suas terras são tomadas pelos romanos, que, em represália, violentam suas duas filhas. A rainha, então, conclama as tribos a lutarem contra os invasores.

No ano 61 da era cristã, a crise deflagrada por Boudica quase levou os romanos a abandonarem as terras britânicas. Um símbolo de resistência e coragem, a rainha lendária, cujo nome significa vitoriosa, teve sua personalidade e atos exaltados por historiadores romanos, como Tacitus e Cassios Dio. Entre 70 mil e 80 mil pessoas morreram nas cidades Camulodunon (atualmente, Colchester), Londinium (Londres) e Verlamion (St. Albans). O centro comercial Londinium foi abandonado para os rebeldes, que a incendiaram, matando quem não havia fugido com o governador Suetônio.

Em Os corvos de Avalon, quando Boudica é derrotada por Suetônio, ela pede a Lhiannon que zele por sua família. Os corvos do título são os rapazes que formam a Sociedade dos Corvos – mostrada por Marion Zimmer Bradley em A Casa da Floresta –, integrada pelos filhos das sacerdotisas violentadas por soldados romanos no ataque à Mona. Com esta bem contada história épica, que mescla mito e fantasia, Diana Paxson homenageia Bradley, criadora de personagens femininas tão fortes quanto a inesquecível Morgana, do primeiro livro da série que há décadas encanta milhões de leitores.

3 comentários:

Céu disse...

Valeu pela dica .. sou apaixonada pela saga As Brumas de Avalon.

Mile disse...

Eu amei esse livro!!! Esse e todos os da saga das brumas. Muiitooo bom!

Alessandro Araújo disse...

eu quero emprestadooooooooooooooooooo!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs