RSSTwitter

quarta-feira, 27 de março de 2013


Gay for Pay

A semana passada falei sobre prostituição nesse post aqui e recordei de uns tempos atrás, quando cursava a faculdade de sociologia, e fiz um trabalho sobre garotos de programas, querendo saber quais os verdadeiros motivos que levam esses meninos a vender o corpo em busca do dinheiro fácil. Lembro que muitos deles davam a justificativa já mais do que sabida: que não conseguiam trabalho e, assim sendo, algum amigo deu a ideia de faturar essa "grana extra" enquanto não pintava um emprego decente e tal.

Sexualmente falando, a maioria se considerava heterossexual. Porém, como a procura desses serviços é mais praticada por outros homens, gays no caso, o jeito era ceder o corpinho sarado para os barbados. Então, mesmo que  os garotos se considerassem heterossexuais em sua vida pessoal, quando rolava o tal trabalho de "michetagem" a coisa mudava de figura e, naquele momento, eles viravam aquilo que o cliente desejava, fazendo tanto a parte passiva quanto a ativa nas relações sexuais.

Todos os que entrevistei na época me contaram que não sentiam prazer algum sendo passivo, com a exceção de um, mas que esses eram os ossos do ofício e terminavam por liberar quando o cliente assim desejava. Já outros, totalmente radicais nesse aspecto, se denominavam apenas ativo e pronto! Sequer faziam sexo oral na freguesia. E, por incrível que pareça, eram esses os mais procurados...

Bem, o engraçado é que esses meninos sequer se achavam bissexuais. Tendo a desculpa de que faziam aquilo apenas profissionalmente, e muitos da sociedade (gay) acabavam aceitando que eles assim se considerassem. Acentuando o fato de que também falei com alguns de seus clientes e afirmaram que realmente era notório o desconforto e desprazer quando os tais garotos de programa faziam a parte passiva na hora do sexo.

Ok! Ok! Mas quer dizer que quando na parte ativa eles conseguiam se excitar numa boa com outro homem e tudo bem, só que mesmo assim ainda não se consideravam sequer bissexuais por serem os penetradores? 


Veja bem, meu bem, nunca vi alguém nessa vida ficar de p... duro olhando para uma nota de 100 reais não, visse? Então para mim essa conversa nunca que caiu bem! Como também não tem colado o fato de que a maioria de atores pornográficos da atualidade, assim como garotos de programa, e que trabalham estritamente para o público gay e trans, sendo passivos sexualmente em cena e atingindo orgasmos triplos, quádruplos, quíntuplos, sêxtuplos, etc., mas nas entrevistas dadas na mídia especializada estarem se declarando ser totalmente hetéros! Como assim mona, me explica?

Um dos casos mais conhecidos é do ator nacional Alexandre Senna (dá um Google no nome da criatura pra conhecer a história bizarra com detalhes ), casado, ex-pastor evangélico, mas que diz preferir transar com homens profissionalmente para sua esposa não ter ciúmes, já que ela sabe que ele nunca se envolveria com um homem na vida real???!!!!??? Só que esse rapaz, além de sentir imenso prazer em cena, até DP faz como passivo, gente!!!! 


Outro caso é de um americano chamado Aiden (da produtora Corbin Fisher), que diz nunca na vida ter tido vontade de fazer sexo com outro homem sem ter sido em frente às câmeras, e que nunca nem jamais irá fazer, mas que consegue a façanha de ter um orgasmo atrás do outro quando está sendo penetrado por um cara em seu "trabalho", tendo contabilizado já um inacreditável orgasmo quíntuplo em uma mesma cena!!!! Mas só que quando questionado sobre o tal feito, diz que não sabe o que acontece na hora, e que deve ser por conta de seu ponto G e tal. 

Então quer dizer que um homem que sente esse imenso prazer, como ele notoriamente sente "trabalhando", não irá nunca fazer o mesmo quando está de folga? Senta lá, Claudia... mas na neca do boy, tá? rsrsrsrs

Bem sei que a sexualidade humana não pode, nem deve, ser definida de forma tão simplória, cadastrando em X e Y os casos existentes. Mas tem que se dar um desconto nessa história de transar com homens, ter muito prazer no ato, continuar a fazer e ainda assim querer pagar uma de macho HT, né? 

Então vamos organizar essa putaria aê e assumir que curte as duas coisas e pronto, meu bem! Que é pra não deixar tudo isso muito confuso para minha massa cinzenta!

Foto: Reprodução



Bem gente, sei que os gays são mais maleáveis quanto à essa questão. Até porque transar com meninos "héteros" já se constitui um fetiche para a classe. Então eles fingem que não são do babado e nós fingimos que acreditamos, ficando tudodebom.com para ambos. 

Mas e vocês, meninas, o que acham sobre esse tipo confuso de heterossexual? Vocês teriam um relacionamento com algum dessa forma, mesmo alegando que seria apenas um "trabalho" qualquer? Quero saber a opinião de vocês! 


*Dica de Releitura: Prazer, sou hétero

26 comentários: