RSSTwitter

quarta-feira, 27 de março de 2013


Gay for Pay

A semana passada falei sobre prostituição nesse post aqui e recordei de uns tempos atrás, quando cursava a faculdade de sociologia, e fiz um trabalho sobre garotos de programas, querendo saber quais os verdadeiros motivos que levam esses meninos a vender o corpo em busca do dinheiro fácil. Lembro que muitos deles davam a justificativa já mais do que sabida: que não conseguiam trabalho e, assim sendo, algum amigo deu a ideia de faturar essa "grana extra" enquanto não pintava um emprego decente e tal.

Sexualmente falando, a maioria se considerava heterossexual. Porém, como a procura desses serviços é mais praticada por outros homens, gays no caso, o jeito era ceder o corpinho sarado para os barbados. Então, mesmo que  os garotos se considerassem heterossexuais em sua vida pessoal, quando rolava o tal trabalho de "michetagem" a coisa mudava de figura e, naquele momento, eles viravam aquilo que o cliente desejava, fazendo tanto a parte passiva quanto a ativa nas relações sexuais.

Todos os que entrevistei na época me contaram que não sentiam prazer algum sendo passivo, com a exceção de um, mas que esses eram os ossos do ofício e terminavam por liberar quando o cliente assim desejava. Já outros, totalmente radicais nesse aspecto, se denominavam apenas ativo e pronto! Sequer faziam sexo oral na freguesia. E, por incrível que pareça, eram esses os mais procurados...

Bem, o engraçado é que esses meninos sequer se achavam bissexuais. Tendo a desculpa de que faziam aquilo apenas profissionalmente, e muitos da sociedade (gay) acabavam aceitando que eles assim se considerassem. Acentuando o fato de que também falei com alguns de seus clientes e afirmaram que realmente era notório o desconforto e desprazer quando os tais garotos de programa faziam a parte passiva na hora do sexo.

Ok! Ok! Mas quer dizer que quando na parte ativa eles conseguiam se excitar numa boa com outro homem e tudo bem, só que mesmo assim ainda não se consideravam sequer bissexuais por serem os penetradores? 


Veja bem, meu bem, nunca vi alguém nessa vida ficar de p... duro olhando para uma nota de 100 reais não, visse? Então para mim essa conversa nunca que caiu bem! Como também não tem colado o fato de que a maioria de atores pornográficos da atualidade, assim como garotos de programa, e que trabalham estritamente para o público gay e trans, sendo passivos sexualmente em cena e atingindo orgasmos triplos, quádruplos, quíntuplos, sêxtuplos, etc., mas nas entrevistas dadas na mídia especializada estarem se declarando ser totalmente hetéros! Como assim mona, me explica?

Um dos casos mais conhecidos é do ator nacional Alexandre Senna (dá um Google no nome da criatura pra conhecer a história bizarra com detalhes ), casado, ex-pastor evangélico, mas que diz preferir transar com homens profissionalmente para sua esposa não ter ciúmes, já que ela sabe que ele nunca se envolveria com um homem na vida real???!!!!??? Só que esse rapaz, além de sentir imenso prazer em cena, até DP faz como passivo, gente!!!! 


Outro caso é de um americano chamado Aiden (da produtora Corbin Fisher), que diz nunca na vida ter tido vontade de fazer sexo com outro homem sem ter sido em frente às câmeras, e que nunca nem jamais irá fazer, mas que consegue a façanha de ter um orgasmo atrás do outro quando está sendo penetrado por um cara em seu "trabalho", tendo contabilizado já um inacreditável orgasmo quíntuplo em uma mesma cena!!!! Mas só que quando questionado sobre o tal feito, diz que não sabe o que acontece na hora, e que deve ser por conta de seu ponto G e tal. 

Então quer dizer que um homem que sente esse imenso prazer, como ele notoriamente sente "trabalhando", não irá nunca fazer o mesmo quando está de folga? Senta lá, Claudia... mas na neca do boy, tá? rsrsrsrs

Bem sei que a sexualidade humana não pode, nem deve, ser definida de forma tão simplória, cadastrando em X e Y os casos existentes. Mas tem que se dar um desconto nessa história de transar com homens, ter muito prazer no ato, continuar a fazer e ainda assim querer pagar uma de macho HT, né? 

Então vamos organizar essa putaria aê e assumir que curte as duas coisas e pronto, meu bem! Que é pra não deixar tudo isso muito confuso para minha massa cinzenta!

Foto: Reprodução



Bem gente, sei que os gays são mais maleáveis quanto à essa questão. Até porque transar com meninos "héteros" já se constitui um fetiche para a classe. Então eles fingem que não são do babado e nós fingimos que acreditamos, ficando tudodebom.com para ambos. 

Mas e vocês, meninas, o que acham sobre esse tipo confuso de heterossexual? Vocês teriam um relacionamento com algum dessa forma, mesmo alegando que seria apenas um "trabalho" qualquer? Quero saber a opinião de vocês! 


*Dica de Releitura: Prazer, sou hétero

26 comentários:

Anônimo disse...

Acho que, como profissionais, eles são pagos para fazer determinada coisa e o fazem, ora papel hétero, ora papel homo.
Atores e atrizes trabalham da mesma forma, afirmando que é o trabalho e só emprestam o corpo para a cena (vide aquela atriz que faz a Morena, que já fez um filme basicamente pornô/arte).

Alessandro disse...

mas nesse caso específico a coisa vai além da interpretação, né? o prazer existe, não tem como negar

Anônimo disse...

Pois é, prazer existe...
Acho que eu fui mais prática e encarei pelo lado profissional. Ainda acho que atores e profissionais do sexo têm muito em comum.

Mas, especificamente, na questão do prazer x hétero x homo, é uma questão difícil. Quer dizer, não deve ser exatamente fácil escolher este caminho e conseguir definir tudo certinho. Acho que no fim, e depois de um tempo, as coisas acabam de misturando e a pessoa já não consegue definir ou assumir o que quer.

Marilia Cardoso disse...

Essa é a mesma questão que envolve atores... como fingir, em cena, que está apaixonado por alguém sem sentir nada de verdade? Como dar super beijos na boca como se isso não significasse nada sentimentalmente? Não há resposta certa para a questão, pois, nem a psicologia chegou perto da resposta, nem a arte pôde ser, até hoje, definida como apenas cópia da realidade, como cópia da cópia, ou como a própria realidade.
Eu, em particular, ficaria com um pé atrás em relação a um cara assim. Mas no meu caso a questão é simples: sou contra traição, se está junto, está junto e é para ficar só com a aquela pessoa. Se deu vontade experimentar coisa nova ou se quer outra pessoa, termine e vá lá. Então não faz muita diferença o que a pessoa fez antes ou vai fazer depois de estar comigo, desde que, estando comigo, fiquemos na putaria somente entre nós.
Abraços

Anônimo disse...

Alee amei o post e tenho varios questionamentos a respeito dele:

1o- não acho que puta ou puto tem vida facil;
2o- eu não acho que de fato o prazer mostrado no filme é o real. Afinal, até na vida real ta cheio de gente fingindo gozada...
3o- eu compreendo (ou tento) oque eles dizem. Assim, morena beija homem na novela, e na vida real mulher. Mas eu penso que varias mulheres se beijam, se lambem e fazem sexo em filme porno, mas na pratica não acredito que seja o relacionamento homosexual a preferencia delas. Se ela ta lá, gravando e goza com a linguada da colega eu sinceramente acredito que ela não irá só procurar linguada feminina pra ter prazer.
4o- mas de fato, se o cara ta de 4 na sua frente, cabeludaço e vc fica pronto pro ataque, então vc tbm é uma bichona...
Mas, apesar da minha evidente dúvida :) Eu acho que oque os rappazes devem querer dizer é que, na hora de ser tocado, beijado, na hora de fazer sexo ele prefira mulher. E nisso eu acredito.

Anônimo disse...

Esqueci de assinar...
Mas na verdade me veio uma duvida e eu quero a sua opinião Ale:

Se o cara gosta do dedinho e da linguinha da namorada ali, quer dizer que ele é gay? Ainda que ele não se relacione com outro homem, (nem nunca tenha se relacionado) e que a linguinha e o dedinho sejam só mais uma forma de prazer???

Aline Chagas

lea disse...

eu acho que independente de ser passivo ou ativo , sentiu prazer com outro homem,nao tem como negar ou é bi ou homo.bjs

Alessandro disse...

Aline Chagas, claro que não é gay o cara que sentir prazer anal! Falei sobre isso nesse post aqui ó: http://www.pimentanoteuerefresco.com.br/2011/11/prazer-sou-hetero.html

Anônimo disse...

Acho que sentir prazer em qualquer parte do corpo, independente da forma de estimulação é uma coisa, e sentir prazer com alguém do mesmo sexo, independente de penetração ou não é gay.
Afinal, o terceiro sexo não é determinado por orificios, por quem come ou quem dá...
Acho que quando as pessoas entenderem isso, ficará mais facil para elas compreenderem a questão.

Lara.

Anônimo disse...

Adorei o post Ale, muito obrigada!!
Acho que eu ainda não frequentava o pimentas com frequência naquela época...
MAs, considerando a possibilidade do prazer sem o cara ser gay, então considero a possibilidade dele ter sim o prazer e de preferir se relacionar com mulher e de não ser gay e só estar passando por essa fase.
Porque olha, não sei como esses meninos fazem pra ter tantas ereções e gozadas numa unica noite, mas talvez ele meter ali em troca de $$ não significa, de fato, que quando o relacionamento não se trata de sexo em troca de $$ ele realmente possa ter sua satisfação com uma mulher. E quem sabe até ser ela a pessoa a estimular o anus dele, pq nesse caso ele no é gay mesmo, certo?

Aline Chagas

Madi Muller disse...

Bah,pergunta difícil,mas tem que ter uma cabeça muito aberta e ser super liberal pra se relacionar com um cara que sente prazer tanto com meninos como com meninas..não sei como eu me sentiria nessa situação,não sei mesmo...e olha que sou uma defensora da causa homossexual,mesmo sendo hetero.

Alessandro disse...

sim, eu até entendo o fato de na hora de se relacionar amorosamente eles prefiram a mulher, mesmo tendo prazer comprovado com os homens. mas isso não exclui o fato de que eles são, no mínimo, bissexuais, né? e isso é que eles negam!

Alessandro disse...

Madi Muller, a questão é realmente difícil. Mas acho que se deve ao caso de achar que o bissexual tende a viver provando os dois sexos, numa eterna inconstância amorosa, né? mas acho que não deve ser bem assim. eles podem ser bissexuais e escolher ser apenas uma coisa em determinado relacionamento

Anônimo disse...

É dificil né...
Eu fico tentando compreender o cara que, alem de sofrer o preconceito social por ser puto, tambem sofre por ser gay... puts grila!
Mas eu consigo compreender a forma de pensar dele no sentido de só fazer aquilo por dinheiro. Acho que a tentativa, de fato, é de dizer que, se não fosse pelo dinheiro não se relacionaria com homem.
Mas to contigo, se o cara já teve outro cara "ali" e curtiu, ele é, no mínimo, bi.
Mas fiquei com outra duvida agora: E aqueles caras com o desconforto e o desrazer na hora passiva? Esses são o "bi" ativona???

Mais uma vez: excelente discussão!

Aline Chagas

Alessandro disse...

Aline, os desconfortáveis, talvez, eu disse talvez, possam ser considerados o "gay for pay" do título do post. rsrsrsrsrs

Thiego Carlos disse...

Falar sobre homossexualidade de forma tão rasa e descuidada, e ainda levando em consideração apenas o fato de um pau ficar duro ou de o cara gozar, significa assumir que nós mesmos (ou o autor do post não é homo?) nos consideramos homossexuais por gostar de dar ou de comer outro cara. Acho que não é bem assim. A questão vai muito além disso. Infelizmente a palavra remete a sexo, porém homossexualidade deve ser definida pelo afeto entre pessoas do mesmo sexo, que fatalmente leva à atração sexual. Se o cara diz que não é homossexual nem bi, é porque simplesmente ele não tem interesse por outros homens. Será que é tão difícil entender e aceitar isso? Isso tá me cheirando ao mesmo preconceito de que tanto andamos reclamando por aí. Se os homossexuais forem preconceituosos, quem mais deixará de ser?
A propósito, só a título de esclarecimento/informações, já existem vários estudos explicando que o prazer anal tanto em homens quanto em mulheres não tem qualquer ligação com a orientação sexual, mas sim com fatores fisiológicos. Vamo dar uma googada e evitar falar bobagens na rodinha de amigos durante o churrasco do feriado?

Anônimo disse...

Acho que, no fundo(sic)rss, a gente fica sempre tentando classificar as pessoas, colocando-as em "categorias" sexuais ou morais. Mostrar quem voce é para a pessoa desejada, é o que realmente importa. Cabe ao companheiro(a) aceitar ou não o que se faz; e ninguém mais tem nada com isso.

Alessandro disse...

Thiego Carlos, bobagem foi a sua de não ter entendido que estou falando dos michês. Se atente ao texto antes de falar bobagens, meu filho!

Kevin disse...

Eu também acho super estranho o cara fazer filmes único e exclusivamente para o publico gay, viver dando pinta por aí mais vive falando que é hétero e que jamais teria nada com outro homem além dos filmes! Bobagem, e puro preconceito enrustido...Homem que é homem não saí por ai dando para outro homem, nem por dinheiro acredito eu. Palavras de um cara que sim é Gay...

Anônimo disse...

Concordo com oq a Aline disse... Tem mta mulher que faz cena de lésbica sem ser, para "vender" uma fantasia ao espectador.
Por isso acho possível que aconteça o msm com os homens, deixando de lado os rótulos, e pensando só no lado profissional.
Além disso, nada que um comprimido de viagra e uma revista antes da cena nao resolva.

Anônimo disse...

Você disse tudo, não dá pra definir a sexualidade humana em bi, homo ou hetero. Há vários tipos de prazeres. Não tenho prazer em pessoas do mesmo sexo, mas acho que é apenas uma caracteristica intima e pessoal. Mas todo mundo gosta de olhar um corpo bonito, sexy, seja de homem pra homem ou mulher olhando mulher. Há a cobiça, a admiração, inclusive sexual.

Thiego Carlos disse...

As pessoas julgam umas às outras sem ao menos pensar nas possibilidades, e isso é o que me deixa contrariado. Cada um é cada um, e sabe de si. É como o anônimo que concorda com a Aline disse: nada que um comprimido de Viagra e um estímulo antes da cena não resolva (e essa é só uma das inúmeras possibilidades). Acho que até um homem de oitenta anos, com um comprimido de Viagra (ou dois rsrs) e uma neca cutucando a próstata dele, é capaz de gozar lindsay. E várias vezes, inclusive. Pq meu beeem, experimenta tomar um pra ver que dia que seu pau vai amolecer novamente.

Maria 0dethe Roitmann disse...

Já paguei um cara que se denominava hétero, mas a maioria dos clientes eram gays! Mulheres não pagam por sexo, dizia ele; tô nem aí: eu pago e nem fico questionando se o sujeito é ou não é!!!

Anônimo disse...

"enquanto não achavam um emprego decente."
Vc acha que se prostituir é um emprego indecente, Ale?

Amanda C. disse...

Alessandro, virei sua fâ!

Alessandro disse...

Amanda, obrigado pelo carinho! Beijos

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

Vem comemorar a semana do Dia Internacional da Mulher
Caso não esteja visualizando as imagens,acesse aqui
 
 
Duloren
Lançamentos Sutiãs Calcinhas Modeladores Diva Plus Size Cuecas
Frete Grátis
Dia internacional da mulher
Aproveite
Chat Online
Central de Atendimento:
Para realizar qualquer troca de produtos, seja por causa do modelo, tamanho ou cor, não há custo adicional para a 1ª troca e a Duloren oferece um prazo de 30 dias após o recebimento do produto. Caso a nova peça seja de uma referência diferente da peça devolvida, será gerado um crédito no valor do produto a ser trocado para a realização de uma nova compra. Para saber mais, acesse Política de Troca ou Devolução.
Custo e Prazo de Entrega:
O frete é grátis para qualquer lugar do Brasil em compras acima de R$ 120,00. 
Depois que o pagamento estiver confirmado, o envio do(s) produto(s) ocorrerá o quanto antes, mas o prazo depende de sua localidade. Para saber mais, acesse Entrega e Frete
Formas de Pagamento:
As compras podem ser feitas em até 5 vezes sem juros em todos os cartões, com parcela mínima de R$ 30,00.
Trabalhamos também com outras formas de pagamento, como débito, boleto bancário e PayPal.

Sobre a Duloren:

A Duloren, líder de mercado em moda íntima no Brasil, fundada há 53 anos, tem um forte e consistente DNA que está baseado na produção de tecidos altamente tecnológicos com desenhos, rendas e elásticos exclusivos, acrescentado à tinturaria própria e à fabricação dos seus insumos. Para atender as mais diversificadas solicitações do mercado consumidor, a Duloren produz e comercializa hoje as marcas Duloren e Femmina.

Com capital 100%% nacional, produz cerca de 1,2 milhão de peças por mês. A Duloren orgulha-se de ser inovadora e estar na vanguarda da estratégia de mercado. Através de avançados planos de marketing, a empresa é reconhecida como pioneira da moda íntima, lançando coleções simultaneamente

Atenção:  

Preços e condições válidas somente para este e-mail, em compras na loja online da Duloren.
Promoção válida até 08/03/2017.As condições podem se alterar após o envio dessa mensagem.
Confira todas as informações sobre produto, preço, tamanho e cor antes de concluir a compra.
Os descontos são válidos durante o período de divulgação e dependem da disponibilidade de estoque.