RSSTwitter

domingo, 26 de maio de 2013


Filme de Domingo: Therese D.

Gente, que já já termina maio e nem homenageamos as noivas!!!!!!!! Se bem que esse mês anda meio decadente de casamentos, né não? Pois as donzelas agora esperam o final do ano, e o 13°., pra casar. Affffffffffffffff que coisa de Creuzaaaaaaaaaaaaaaaa!!!! Félix deve apenas abominar essa pobreza limitada!



Mas bem, sei que nesse mês, mesmo não sendo mais o escolhido para enlaces matrimoniais, chovem os textos sobre o assunto. De gastronomia a moda, de literatura a decoração, de música a espessura do vibrador... o tema é um só: CASAMENTO!

Isso sem falar nas intermináveis listas de filmes que não mudam! É sempre “4 casamentos e 1 funeral”, “O casamento de Muriel”, “Noiva em Fuga”, “Vestida para casar”, “Missão: Madrinha de Casamento”, “O casamento de meu melhor amigo”, “Mamma mia!”, “Casamento grego”... Todos ótimos filmes, por sinal, mas que tal mudar um pouco essa mesmice apostando num filme que leve o assunto um pouco mais a sério? É que parece que sempre o casamento é visto como se fosse um belo filme romântico, não é mesmo? E é notório que essa viagem não é tão bonitinha assim como se imagina, pois qualquer relacionamento tem seus percalços. Sendo muitos deles, até mesmo na atualidade, pautados apenas pelo interesse, seja ele sexual, social ou financeiro. E é sobre esses “interesses” que versa “Therese D.”, que vem ser a minha dica de filme para vocês assistirem nesse domingo.


Dirigido pelo francês Claude Miller, que sequer conseguiu ver sua obra pronta pois faleceu em abril do ano passado, a trama, baseada na obra “Thérèse Desqueyroux” de François Mauriac, ganhador do prêmio Nobel de Literatura de 1952, acompanha a trajetória da jovem Thérèse, uma adorável e espirituosa mulher de classe alta vivendo na França dos anos 20. Ela casa-se com Bernard Desqueyroux, seu rico vizinho, homem a quem foi prometida desde a infância apenas por interesses mútuos familiares, que querem unir suas respectivas fortunas.
 


Bernard tolera a forte personalidade de sua esposa, mas Thérèse aos poucos se sente sufocada pelo tédio reinante em sua apática condição de casada. Sendo uma leitora voraz e cheia de questionamentos sobre a vida existente fora de seus limites, Thérese tem que aturar a pobreza intelectual do seu marido. Ela sonha a liberdade de seu ser e com a modernidade cultural de Paris, procurando uma forma de mudar a vida que leva. O que nos leva a nos perguntar se vale a pena viver um mundo de aparências, repleto de valores financeiros e vazios de desejos que o dinheiro não pode comprar.


Sinopse: Em 1926, Thérèse Larroque (Audrey Tautou), filha de um rico proprietário de terras, casa com Bernard Desqueyoux (Gilles Lellouche), filho de outro proprietário. De espírito livre, ela acha que o casamento a livrará de sua vida entediante e das prisões sociais. Feliz após a noite de núpcias, pouco depois Thérèse fica grávida e descobre, porém, o bebê é mais importante para seu marido do que ela.

País de origem: França 

Ano de produção: 2012 

Duração: 110 min

Gênero: Drama

Direção: Claude Miller

Roteiro: Claude Miller e Natalie Carter

Elenco: Audrey Tautou, Gilles Lellouche, Anaïs Demoustier

Vídeo: Youtube

1 comentários:

Anônimo disse...

Adorei o filme! Super recomendo!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs