RSSTwitter

quinta-feira, 8 de agosto de 2013


Notícias que chocam

Uma das coisas que me deixa super chateado é quando comentam que é 'mimimi' de gay quando faço posts acerca da homofobia reinante no mundo, com as pessoas fazendo as comparações mais esdrúxulas possíveis, que até fico achando que fazem isso ou por pura implicância ou por pura ignorância mesmo.

O último caso foi no vídeo da drag queen costurando a própria boca em protesto contra ataques que os homossexuais sofrem na Rússia, que é algo muito, mais muito sério mesmo e a pessoa vem dizer que perdemos o respeito por conta do que um grupo isolado aprontou na passagem do Papa Francisco pelo Brasil? Me poupe, né? Isso é o mesmo que dizer que você também é ladrão só porque fulano rouba, não é verdade? Nunca tentem colocar as pessoas na mesma panela por conta de sexualidade não! Como tem heterossexuais canalhas, também existem homossexuais do mesmo naipe. E achar que todo mundo é igual é de uma burrice tamanha!

Mas nem irei me alastrar muito no tal assunto, pois o objetivo aqui é mostrar para os intolerantes duas notícias absurdas acontecidas recentemente. Notícias essas que me chocaram, assim como também chocaram pessoas heterossexuais, já que nesse caso existe a igualdade sim! Igualdade de opinião em saber que ninguém pode sofrer agressão física e verbal apenas por conta de sua sexualidade ou até mesmo da ainda não existência de uma...



Adolescente gay sequestrado e torturado por neonazistas acaba morto na Rússia
 Adolescente gay sequestrado e torturado por neonazistas acaba morto na Rússia

Um adolescente gay russo que foi sequestrado, humilhado e torturado por um grupo de skinheads está morto.

Na semana passada, a imagem do jovem, que não foi identificado, ao lado seus torturadores, chocou o mundo. 

Um grupo de neonazistas da Rússia tem atraído jovens gays através da rede social VK.com com o intuito de submetê-los a uma série de humilhações. Os momentos são registrados em vídeo e divulgados na internet.
Algumas vítimas traumatizadas com a situação, cometeram suicídio. Não se sabe ainda se o jovem da foto cometeu suicídio ou morreu em decorrência dos ferimentos sofridos durante a sessão da tortura.

Grupos como o "Occupy Pedofilyaj", que asumem os atos, dizem que estão tentando identificar pedófilos no país. No entanto, todos os alvos são adolescentes. 

O governo russo declarou que os grupos são "movimentos da sociedade civil que lutam contra os pecados da sociedade".

Como resultado, apesar dos torturadores serem facilmente identificados nas imagens, nenhuma prisão foi feita e quem se declara contra as ações vem sofrendo ameaças e perseguições. 

De acordo com o Spectrum Human Rights Alliance, grupo de defesa dos direitos gays, o governo de Vladmir Putin parece "perdoar totalmente essa violência".

FONTE


Garoto de 2 anos sofre ataque homofóbico por usar presilha rosa

 Garoto de 2 anos sofre ataque homofóbico por usar presilha rosa

 
Uma blogueira norte-americana, chamada Katie Vyktoriah Reed, e autora do AMotherThing.com postou em seu site um desabafo, depois que seu filho de apenas 2 anos virou motivo de chacota em um Walmart.

 Tudo porque o pobre garotinho gosta da cor rosa e estava usando uma presilha no cabelo.

Leia o comovente post na íntegra (a tradução foi feita pela equipe do Gajjo e não é literal):

“Este é o Dexter. Ele tem 2 anos de idade. Ele ama brincar de ser o Batman, Super Homem e o Homem Aranha. Ele é um garoto de verdade. Finge que está voando e que captura os malvados que nos ameaçam.

2013-08-02-dexter2

Ele é o bagunceiro mais fofo que vocês possam conhecer.

Algumas coisas que você deve saber sobre Dexter.

Ele é um irmão mais velho fabuloso. Ele amadurece mais lentamente e tem um bom vocabulário. Ele costumava ser muito tímido, mas recentemente ele tem saído de sua “concha”. Ele ama novas pessoas e gosta de cumprimentar todo mundo com um caloroso “Oi!”.

A cor preferida dele é o rosa. Ele ama o desenho “Dora, a exploradora” e é conhecido por usar minhas saias como vestidos. Dexter ama um “dengo” da mamãe!

2013-08-02-dexter1

Na noite de ontem, levei meus dois filhos para comprar algumas coisas no Walmart. Mark (o marido da autora) teve que dar uma organizada em seu trabalho, então decidi me aventurar sozinha com os meninos, coisa que não costumo fazer com frequência. É muito trabalhoso arrumar as crianças, colocar e tira-los do carro, encontrar um carrinho de compras, mantê-los felizes enquanto eu faço as compras e chegar em casa “intactos”. Vocês pais entendem o que quero dizer.

Depois de colocar roupa e sapatos no Dexter, ainda tive que arrancar um urso de pelúcia gigante dos braços dele, pois tinha decidido que queria levá-lo conosco. Claro que isso resultou em choradeira e birra, que, de alguma forma, eu consegui apaziguar bem rapidamente. Mas, quando tentei tirar uma presilha de renda roxa em formato de flor do cabelo dele (que, inclusive, ele passou o dia inteiro usando), vi que outra briga estava presentes a começar. Então, para evitar mais uma birra, deixei ele ir usando o acessório. Afinal, a quem ele estava machucando?

Chegando no supermercado, eu consegui magicamente colocar o Dexter no carrinho sem nenhum problema. O fato de que ele estava usando uma presilha feminina e super fofa fez com que ele se sentisse bem, então ele todo cheio de si acenava para as senhorinhas como se fosse um príncipe em uma carruagem. Até tirei uma foto dele depois que duas mulheres vieram me dizer o quão adorável ele é.

Ele estava arrasando com aquela presilha.

2013-08-02-FloweryHeadband

Logo acabamos de fazer as compras e enquanto seguíamos para o caixa, ao passarmos pela seção de Beleza, duas adolescentes começaram a rir e uma delas me perguntou ”Isso é um menino ou uma menina”? Eu sorri e respondi “Ele é um menino”. Olhei para ele e lhe fiz um carinho enquanto elas continuavam rindo.

Do nada, uma voz grossa e alta: “ISSO é um MENINO?!”. Um grandalhão, de barba cheia, camiseta camuflada, short rasgado e botas gritava em nossa direção. Eu podia sentir o fedor de cigarro e bebida vindo dele.

“Sim”, eu respondi seca, mas ainda sorrindo.

De repente, o homem avançou e arrancou a presilha do cabelo do Dexter e a jogou no nosso carrinho de compras. Depois, passou o braço em volta da cabeça do Dexter (não foi com força, mas o ponto não é esse) e disse com uma risada malvada e alta “Você vai me agradecer depois, homenzinho”.

Na mesma hora que eu fui pra cima do homem, Dexter segurou a parte do cabelo em que o homem encostou, apontou o dedo para ele, pisando forte, gritou “Não!”. Entrei no meio dos dois e disse para o bêbado “Se você encostar no meu filho mais uma vez, eu vou arrancar suas mãos!”.

O cara me encarou, olhou para o Dexter com nojo e disse “Seu filho é uma bichinha desgraçada (em inglês o termo que ele usou “Fucking faggot“). Virou as costas e antes de sair completou “Ele ainda vai levar um tiro um dia”.

Eu fiquei lá, parada, tremendo com os pulsos cerrados, esperando o homem sair pela porta do supermercado. Então, fiquei arrasada. Estava tremendo tanto, segurando as lágrimas para poder confortar meu filho.

Nem uma pessoa sequer disse ou fez alguma coisa. Várias presenciaram a cena, mas ninguém veio para me oferecer apoio ou consolar a mim e ao meu filho.

Deixa eu repetir para vocês: Dexter tem 2 ANOS DE IDADE.

Eu estava lá, com um menino de 2 anos e um bebê de 5 meses, e meu filho foi verbal e fisicamente agredido por um homem. E ninguém fez absolutamente nada.

Segui para o caixa, ainda em choque, paguei pelas minhas compras e fui embora. Eu não comuniquei nem a gerência do supermercado, nem as autoridades, apesar de estar pensando em fazer isso. Mas, como eu moro em uma cidade turística, eu duvido que há alguma coisa que eu possa fazer para encontrar esse homem – ele pode ser de qualquer parte do mundo.

Já se passaram 24 horas e eu já me desabafei no Facebook, recebendo vários comentários de apoio. Já estou mais calma e consigo olhar para a situação de uma maneira bem mais objetiva.
Tanta coisa errada aconteceu lá que eu nem sei por onde começar.

Aquele homem retirou um artigo de roupa que meu filho estava usando. Não importa que tenha sido uma presilha. NUNCA isso é OK.

Aquele homem tocou meu filho sem meu consentimento. Ele achou que seria “engraçado”. EU NÃO ACHEI.

Ele atacou meu filho com palavras extremamente degradantes e ainda sugeriu que ele merece morrer.

Como que QUALQUER dessas coisas esteja certa???

Isso é o significado de INTOLERÂNCIA.

Um homem adulto, que se acha o sabidão, decide que está tudo certo “ensinar” meu filho o que é ser “macho”. Ele achou que é correto julgar meu filho porque ele não estava adequado às ideias machistas do que um garoto deve ser. Claramente, aquele homem é um homofóbico, o que já é ruim o bastante – mas, não obstante, tentou atribuir tendências gays a um menino de DOIS ANOS. Isso é RIDÍCULO.
 
Uma criança de 2 ANOS NÃO TEM SEXUALIDADE.

Acreditar que vc pode “ensinar” uma criança a ser de uma determinada maneira é inaceitável. Mesmo que ser gay fosse uma escolha de vida (o que eu não acredito), não é uma escolha que uma criança possa fazer. E da mesma forma que meninas podem jogar baseball ou gostar de carrinhos, meninos podem se vestir com as roupas da mãe, usar acessórios, maquiagem e etc.

Tudo é novo e empolgante para crianças, já que elas estão na fase de descobertas.

Meu marido e eu somos completamente apoiadores de toda forma de amor. Seja você gay, hétero, bissexual, transexual ou poligâmico, isso só diz respeito a VOCÊ MESMO. Eu não julgo, não tento mudar ninguém.

E, quando meus filhos crescerem e perceberem que são alguma das formas que citei acima, isso não mudará em nada a maneira como eu me sinto com relação a eles.

Mas, agora mesmo, o fato de que homofobia está tão presente, que o casamento gay é ainda visto como sujo porque homossexuais são “inferiores” e, de alguma maneira, não merecem ter os mesmos direitos que pessoas héteros, como aquele homem no Walmart, me faz sentir muito medo pelos meus filhos e o futuro deles.

Mesmo que eu e meu marido vamos apoiar e aceitar nossos filhos da maneira como eles forem, eu estou extremamente assustada com como seria se eles fossem realmente gays. Por que eles devem viver com medo, simplesmente porque amam pessoas do mesmo sexo? Por que pais e mães de crianças gays devem ir dormir com mais uma preocupação, pois o mundo não aceita e está contra seus próprios filhos?

Por que isso importa? Você realmente acha que seu Deus ou seu Jesus ou sua crença seria tão julgador como você é? Até mesmo o PAPA disse que não é um problema ser gay.

Mas, deixando isso de lado, em qualquer instância, é ultrajante que alguém permita que um adulto julgue e maltrate uma criança por suas crenças, como adulto. E NUNCA ESTÁ CERTO TOCAR uma criança que não é sua sem permissão. TODO MUNDO, inclusive as crianças, merecem RESPEITO.”

O post original está no site da mãe, que está fora do ar momentaneamente, seguindo orientações da polícia, que investiga o caso.

Com informações do HuffingtonPost.

29 comentários:

Letícia Cavallari Medina disse...

Tão chocada que não há palavras para descrever...

Anônimo disse...

Nossa Ale, fortíssimo!
Bizarro, sério e lamentável.
Fico feliz pela sinceridade da mãe e pela coragem pra expor o ocorrido.
Até quando heim???

Anônimo disse...

Esses crimes são bárbaros e essas pessoas devem ser encontradas, presas, julgadas e condenadas em qualquer lugar do mundo. A motivação é torpe, absurda, inaceitável.

Anônimo disse...

COMO alguém pode achar que ser gay é pecado mas beleza torturar e matar ele por isso? Meu Deus gente, sério, quem acha que isso é pecado acredita em Deus, ou em qualquer outra divindade ok? Será que Deus seria a favor disso? pfv, que ignorância. Amar ao próximo como a si mesmo né.

lea disse...

que triste isso, infelizmente deve acontecer mt , talvez poucas pessoas tem a coragem dessa mae de expor o que aconteceu, mas e triste perceber que as pessoas perderam o respeito pelo próximo .

lea disse...

que triste isso, infelizmente deve acontecer mt , talvez poucas pessoas tem a coragem dessa mae de expor o que aconteceu, mas e triste perceber que as pessoas perderam o respeito pelo próximo .

Anônimo disse...

Seriam os gays os novos judeus? Acho que sim, periodicamente o homem busca um grupo para massacrar e humilhar, foi assim com judeus, cristãos, ciganos, negro, mulheres e será assim com os gays. O que temos a nosso favor? A lei, por mais frágil e descrente que seja o nosso sistema judiciário, lute, denucie, não se cale. Eu sou lésbica, casada, feliz, amada, bem comida(caso alguém ache que me falta um homem), vou ter filhos e sei que não será nada fácil lidar com uma sociedade que ama o pecador, mas rejeita o pecado (nunca ouvi nada mais idiota). Gente má existe independente de opção sexual, existem héteros e gays filhos da puta, assim como existem héteros e gays maravilhosos. Alessandro continue usando seu blog como uma ferramenta de alerta e indignação, vc faz um bem para a sociedade. Quem não gosta... bom, existem seguidores filhos da puta e seguidores maravilhosos, independente da opção sexual. ;)

Anônimo disse...

Estou tão chocada, que não consegui ler ate o final, me deu enjoo, mal estar.Tenho um filho mais ou menos da mesma idade.. e eu teria feito o mesmo q essa mãe. Um absurdo!!!!! Abaixo o preconceito.. abaixo pessoas ignorante e intolerantes, e viva o RESPEITO!!!!

Bruna disse...

Esses crimes fogem à seara da violência de gênero e acabam ferindo a humnidade como um todo. É impensável um governo ser conivente com esse tipo de coisa. Cadê os órgãos internacionais pra sancionar essa barbárie? Odeio homofobia, e sim, sou hétero. Não se trata de gay ou hétero, se trata de GENTE!

Anônimo disse...

Muito triste tudo isso.

Anônimo disse...

Deprimente. Realmente, não há palavras para expressar tanta decepção com a nossa espécie.

Anônimo disse...

Mãe, me desculpe mas o q a senhora fez foi pouco, o q estivesse na minha frente eu usaria como arma.

Anônimo disse...

Sem palavras.
Infelizmente a intolerância e a ignorância humanas não tem limites, e ainda são extremamente disseminadas.
E além disso: ninguém ajudou a mãe? Meo deus!
E não acho que ela fez pouco, ela deve ter ficado meio que sem reação com tamanha estupidez.
Cris.

Rafael Oxn. disse...

nessas horas tenho plena vontade de não mais habitar esse mundo!

sério, me deu uma bola na garganta, um mal estar, um asco diante dessas noticias ...

Até qnd gente? até quando ...

Carol disse...

Mew isso é inaceitável, como pode um animal desses fazer isso com uma criança!?!!! Ele é um inocente que só estava brincando! Como pode existir alguém tão ignorante à este ponto!Inacreditável!

Larian disse...

muito triste o caso do adolescente morto eu fiquei chocada com essa imagem na verdade é triste qualquer tipo de humilhação por alguém ser gay é rídiculo
Infelizmente as pessoas não veem os gays como pessoas normais tomara que um dia isso mude

Dani G. disse...

Eu não consigo entender como pode ser errado ser gay, e ser certo torturar e matar.
Você não precisa concordar e nem aceitar se não quiser, mas isso não da o direito de prejudicar outra vida.

Anônimo disse...

Triste demais... Como precisamos evoluir ainda... Triste, somos os únicos animais tão pouco ternos com outros da mesma espécie, achando ainda que somos muito racionais!

O pior é sentir que não posso fazer nada por essas pessoas...

Anônimo disse...

Sugestão de post: o caso Bianca Pazzinato, que foi assassinada porque nao queria ter ou continuar caso com uma mulher. Dos gays /pessoas agressivos alguem fala alguma coisa? Acho que nao ne....

Anônimo disse...

ZZZZZzzzzzzzzzZZZZZZZZZZZ

Anônimo disse...

Gente, infelizmente isso existe, é absurdo, mas existe. Sou hétero sim, mas só vamos mudar esse quadro tratando esse assunto naturalidade e orientando nossos filhos a entenderem que ser gay é normal e natural. Não devemos falar em "aceitar" ou "tolerar", isso é tão forçado. Devemos mostrar aos pequenos que gays ou héteros podem ser pessoas maravilhosas.
Não acho que protestos, gritaria, leis ou paradas gays mude a opinião desses preconceituosos/criminosos. Por isso oriento meu filho, que parece que vai ser hétero, a ser um homem bom, que respeita e ama a todos as pessoas de bem. Acredito que devemos fazer a nossa parte assim, eliminando o preconceito na raiz.

Anônimo disse...

Aí vem um imbecil falar do caso Bianca Pazzinato como se agressividade se originasse do fato de serem gays. Isso que esses imbecis tem que entender, as pessoas são boas ou ruins independentemente de serem gays ou hétero

Lilica disse...

Garanto que tem muitas indignadas aqui que desceram a lenha na Rachel Zoe por causa do filho dela que com a mesma idade desse aí, tem cabelo comprido e "aparência" de menina. Ou quando veem um bebê com roupas de cores neutras querem logo saber o que é e diante da resposta respondem: "ah, se é menina põe uma roupa rosa ou um brinco, se não fica parecendo menino". Ou fazem que nem as meninas que ficaram rindo ao ver um menino com uma presilha de cabelo rosa. Pensem nas suas atitudes no dia a dia tá? Nem sempre o preconceito acontece de uma maneira tão explícita como nesse relato.

Anônimo disse...

Olha diante desse caso, vou desabafar algo que aconteceu em minha casa. Algum tempo atras pequei meu sobrinho de 9 anos, maquiado, com vestido e de sapato alto. Na hora fiquei chocada, ele ficou muito assustado, se limpou e começou a chorar e pediu para eu não contar a ninguém. Perguntei a ele se ele gostava de se vestir de mulher e se maquiar, claro que ele negou e inventou uma historia, dizendo que queria se vestir de heroi e tal. Sei que ele tava com medo, então disse a ele não tinha problema se ele gostasse de se maquiar que podia falar. Ele negou e chorava de soluçar correu para o quarto. Não sabia o que fazer,
então quando minha mãe chegou eu contei a ela, pensando que ela iria me ajudar a dizer a ele que estava tudo bem. Mas para minha surpresa ela ficou brava e dizia que não aceitava neto gay, me arrependi na hora. Mas não tinha mais jeito, ela contou para o meu pai, que é claro pirou e a minha irma que a mãe dele disse que não aceitava filho gay e um monte de absurdo, enfim minha casa virou uma guerra. Eu olhava para meu sobrinho escutando aquelas coisas horríveis, meu coração apertava e a culpada era eu que tinha contado, mesmo ele pedindo segredo, e ele ali negando tudo e chorando. Nessa hora meu noivo chegou( não conhecia uma pessoa que tenha mais ódio de gay que ele), pensei comigo, pronto agora que a coisa piora e eu já estava pronta pra defender meu sobrinho, quando meu pai disse: Se vc for gay eu não te aceito mais em casa te boto pra fora.
Foi ai que eu me surpreendi mais uma vez, meu noivo olhou para mim e para meu sobrinho e disse: Tem problema não se o senhor não quer ele na sua casa eu quero, eu crio ele. Na hora todo mundo olhou para ele, sem entender. Meu sobrinho levantou e abraçou ele eu comecei a chorar. Fiquei pensando comigo, como alguém que sempre odiou gay, que se declarava homofóbico pode falar isso assim, fiquei chocada e maravilhada ao mesmo tempo. Ninguem disse mais nada naquela noite. Depois qdo nós estavamos sozinhos perguntei a ele o porque tinha dito aquilo. Ele me respondeu assim: Ele já não tem pai, seus pais são velhos não entendem ,sua irmã é uma idiota (minha irma e meu noivo são brigados) eu sou homem, eu amo seu sobrinho como se fosse meu filho e pra mim isso basta, não importa o que ele vai ser não vou deixar ele sem um teto e sem amor.
Não perguntei mais nada, nunca esqueci essas palavras, ele foi mais mais forte que eu e defendeu meu sobrinho, coisa que eu não fiz.
Já se passaram alguns meses desde que isso aconteceu, ninguem mais toca no assunto, nunca mais vi meu sobrinho nem chegar perto de nada que "fosse de mulher", não sei se ele está reprimindo ou se era apenas uma curiosidade. Só sei que eu não soube lidar com a situação e piorei ainda mais. É diferente quando é com a gente, sei que muitos iram crucificar minha família por isso, mas infelizmente ela não é a unica e eu espero conseguir defender e proteger meu sobrinho da próxima vez e não ficar olhando ele ser agredido verbalmente e não fazer nada.

Anônimo disse...

Meu pai era homofóbico desses tipo "macho tradicional", "mentalidade antiga", dessas pessoas que jamais agrediria alguém, mas falava mal, tirava piadinhas pelas costas dos outros, não entendia "como folho de fulano foi ficar assim", artista tal é uma bicha sem vergonha etc. Até que...:meu irmão, seu filhão lindo, CDF, culto, poliglota, sério, nunca dava pinta, mas nunca aparecia com namorada e, já com quase 30 anos, revelou pra mim e pra minha mãe que era gay. Eu já desconfiava e nunca perguntei porque não faria a menor diferença pra mim. Ele estava sem jeito de falar pro meu pai, mas disse que o faria, se fosse o jeito, e aceitaria qualquer que fosse a consequência. A minha mãe se adiantou e falou pro meu pai, que ficou arrasado e chorou muito. Nunca tocou no assunto com ninguém, meu pai sabia que meu irmão sabia que ele sabia e vice versa. Continuaram se tratando maravilhosamente bem, sem nunca mais falarem no assunto, meu irmao entendeu que a essa altura do campeonato meu pai não ia dar o braço a torcer a ponto de lidar abertamente na maior alegria com o fato. tenho certeza que meu pai se torturou por ter feito piadinhas e comentários cruéis na frente do amado filho, e entendeu que as pessoas nascem homo ou heterossexuais e podem ser maravilhosas ou não, independentemente disso. Ele ENTENDEU que estava errado.

Márcia disse...

Nossa, esse caso acima me sensibilizou tanto! Quão triste é ver isso? Adultos colocando seus problemas abertamente para uma criança que nem tem ideia do que é certo ou errado, bom ou ruim, sensato ou não. Uma criança tem o direito de brincar da forma que achar melhor, elas não tem nenhuma ideia pré fabricada como nós, pro menino isso é tão normal quanto levantar todas as manhãs. Acho muito errado os adultos imporem suas próprias definições de mundo (pelo menos com coisas tão polêmicas e pessoais) às crianças, no estado mais puro do ser humano, onde não existe heterossexual, homossexual, nem nada dessa baboseira.

Alessandro disse...

Anônima do caso do sobrinho,o único conselho que te dou é tentar demonstrar em ações o amor que você sente por ele. por ser tão novo ele talvez ainda não consiga ter uma conversa aberta com você. até porque nessa idade ele ainda nem deve compreender essas questões de sexualidade. o que os pais deles fizeram foi traumatizar o menino sem razão, pois não será uma brincadeira dessas que definirá a sexualidade dele. e se ele no futuro demonstrar que é gay, não deve ser julgado por isso e sim por seu caráter e personalidade. então só peço que você o faça sentir que é amado por você e por seu noivo. isso vai melhorar um pouco a situação

Anônimo disse...

Muito triste e revoltante tudo isso, tanto os casos do post quanto o caso narrado pela anônima! Estamos no século XXI e as pessoas ainda não conseguiram entender que sexualidade não define caráter? Por que se importar a orientação sexual alheia? Alessandro, continue nos brindando com a sua indignação e com os seus alertas contra o preconceito.

Anônimo disse...

Obrigado Ale, eu me sinto envergonhada por isso ter acontecido na minha casa, eu tento dar muito amor para ele e sinceramente não me importo se ele será gay, bi, hetero e etc. Me senti franca em não protege-lo, desde do acontecido eu tento conversar, mas ele muda de assunto, espero que qdo ele crescer e tiver pronto ele confie em mim,independente da sua opção sexual, pois não existe sexualidade no amor.
Lucy - Anônima 9 de agosto de 2013 11:19

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

Moda com preços incríveis você encontra aqui!
Moda com preços incríveis você encontra aqui!

Não quer mais receber nossos e-mails? Cancele aqui
Não consegue visualizar o e-mail? Acesse este link

Adicione conteconosco@posthaus.com.br aos contatos
 
 
Até 5x sem juros Troca e Devolução Grátis Atendimento 47 3331-6666 | 11 4062-5476
Posthaus
Feminino Plus Size Infantil Calçados Masculino Lançamentos Promoções
Vestidos Blusas Macacões Saias Camisas Calças Marcas
 

Estas ofertas são válidas até 09/02/2017 ou enquanto durarem os estoques.
Frete Grátis (Entrega Normal) nas compras acima de R$ 199,99 para as regiões Sul e Sudeste do Brasil.
Parcele as suas compras em até 5x sem juros. A parcela mínima é de R$ 29,90.
Caso haja divergência de preço ou descrição do produto entre este e-mail e o site, a condição válida a ser praticada será a do site.

Você recebeu esta mensagem porque se cadastrou na nossa loja e optou por receber e-mails promocionais.
Respeitamos a sua privacidade e caso não queira mais receber nossos e-mails
acesse aqui.
Sentiremos a sua falta :(                                                       Veja a política de privacidade do Posthaus.com

Central de atendimento disponível de segunda à sexta-feira das 8h às 20h, e sábado das 9h às 18h.
Quer falar com a gente?
conteconosco@posthaus.com.br ou 47 3331-6666 | 11 4062-5476
Endereço: Rua 7 de Setembro, 1069, 1º andar - Sala 10A - Centro - 89010-207 - Blumenau - SC - Brasil

Não consegue ver a imagem? Clique aqui.