RSSTwitter

terça-feira, 3 de setembro de 2013


Vai Fazer o Quê? - Homofobia

Tempos que gostaria de relatar uma situação acontecida comigo e um amigo gay num shopping daqui de Recife e acho que, depois de assistir ao quadro "Vai Fazer o Quê?" do programa Fantástico, a hora enfim chegou!

O babado foi o seguinte, tínhamos marcado nesse para dar uma volta na livraria Cultura, programa mais que adorado por ambos, já que somos aficionados por leitura e tal. Após passar um bom tempo entre as estantes da tal livraria, resolvemos fazer um lanche na praça de alimentação do Paço Alfândega, shopping que é vizinho da Cultura.

Pois bem, fizemos nosso pedido e enquanto aguardávamos a comida chegar demos uma olhada geral nas mesas próximas e catamos um casal de rapazes namorando. Para mim tudo ok, nada demais, já para meu amigo...

Senti que ele ficou meio "agoniado", como se algo o estivesse incomodando por demais e, juro pela discografia completa de Madonna, nunca imaginaria que meu amigo GAY estaria daquela forma porque presenciava dois meninos trocando carinhos e beijinhos inocentes!!!!!!

Sei que certa hora ele não se segurou e começou a falar pra mim que ali não era lugar de fazer aquilo, que o casal deveria se dar o respeito e fazer essas coisas entre quatro paredes, etc. Detalhe: numa mesa em frente à nossa havia um casal hétero dando beijos do estilo desentupidor de pia e meu amigo sequer prestou atenção neles! Assim como as pessoas que por ali circulavam também não deram nenhuma atenção ao casal gay! Então porque porque cargas d'água um gay estava tão incomodado ao ver dois homens se beijando, por favor?

Óbvio que o de cá começou a questioná-lo (e dar foras) por conta daquele estúpido preconceito e ele, tal qual fã de Lady Gaga, dava os argumentos mais absurdos possíveis! Já que não entra em minha cabeça como é que a pessoa se incomoda em ver dois homens se beijando de forma normal enquanto não está nem aí para um homem e uma mulher se esfregando em sua frente?

Sim, sei que isso é ainda é fruto da nossa machista sociedade, mas vamos parar um pouco para pensar no que é realmente falta de respeito? O brasileiro, geralmente, é hipócrita ao definir esses preconceitos. Pois se por um lado não aceita um beijo gay, nem ao vivo e nem na televisão, consegue aceitar numa boa adolescentes fazendo movimentos pélvicos ao dançar o "quadradinho de oito". Acham o absurdo dos absurdos duas lésbicas mostrarem seus seios em um protesto, quando por outro lado no nosso carnaval as mulheres desfilam nuas! Então me pergunto: que merda é essa que temos na cabeça para sermos tão contraditórios?

Porque grupo X pode mostrar amor e carinho em público e o grupo Y tá proibido de fazer o mesmo? Porque grupo Y quando tem coragem de fazer isso precisa ser taxado como desrespeitoso, tem que ser dissecado com olhares reprovadores ou até mesmo sofrer violência física ou verbal por estar tendo uma atitude natural dos outros? Porque o grupo X se acha tão superior que só eles merecem/devem fazer determinadas coisas? E porque ainda damos ouvidos pra esses tapados? Tapados como esse meu amigo que, independente do que falei para ele, já tem sua visão distorcida do que deva ser o mundo gay, sempre em guetos, sempre fazendo tudo às escondidas, sempre se amando no escuro, calados, omissos, temerosos.

Precisamos lutar para que a opinião de pessoas assim não prevaleça! Pois se ainda querem ter uma visão arcaica acerca da sexualidade alheia, que a tenham! Mas façam o favor de não expressá-la! Pois é esse tipo de atitude que devemos combater e trancá-la no canto mais escuro possível para nunca mais soltar! E para que o futuro de jovens, como aquele casal da praça da alimentação, não precise dos semeadores dessa merda mental!

Vídeo: Youtube

16 comentários:

Anônimo disse...

É o que sempre digo. Se a cultura, costumes do lugar acha ok certas demonstrações de afeto, elas valem para qq um. Não entendo isso de héteros serem estimulados a demonstrar afeto em público e homos terem que esconder seus sentimentos...

Madi Muller disse...

Para tudo existe local e momento adequado,não importa se o casal é homo ou hetero-as pessoas precisam aprender a conviver socialmente,respeitando os demais para tb serem respeitadas.

Anônimo disse...

Também não entendo porque um casal hétero pode acasalar na frente de todos e um casal homo não pode nem dar as mãos. Creio que se os casais homo têm que se dar o respeito, o mesmo vale pros casais convencionais, né?!
Gosto de viver aqui no centro de São Paulo por causa disso, apesar de os velhinhos olharem com estranheza, os casais de meninas, ou de meninos, se beijam e abraçam com mais tranquilidade.

Beijos.

anita disse...

Pois então... acho também, que existe local e hora pra tudo... mas né. Essa idiotice de achar que gays não podem, heteros podem, ou o que é mais "normal" ou menos agressivo... ridículo. Se não mudarmos nosso pensamento logo, que tipo de sociedade deixaremos pros nossos filhos? Educo os meus a aceitar TODAS as diferenças e a ajudar as pessoas, a ter educação e que preconceito é coisa de gente babaca. Acho que é por aí.

beijo pra tu, minha coisa goxxxxxxxxxxtosa.


Anita
www.audreydisse.blogspot.com

Anônimo disse...

Então vamos todos expressar beijos, amassos, sexo, safadeza na rua, heteros, homos, vamos lá gente!! vamos ver quem mais faz amor gostoso nesse mundo. Cá entre nós, não é bonito pra ninguém, pra nenhum dos dois, há outras maneiras de expressar amor diante da sociedade é uma delas é respeito tanto de um quanto de outro....Eduarda-BSB

Anônimo disse...

Francamente: eu DETESTO barulho de beijinhos, poucas coisas me irritam mais que um casal perto de mim fazendo barulinho. Ocorre que até hj isso nunca me aconteceu com um casal gay por perto, apenas de heteros, e sempre com adolescentes...
Daí que quando a pegação é forte mesmo eu não me incomodo... estranho né... Mas assumo meu pensamento machista, penso que a menina, cedo ou tarde, vai se arrepender do que está fazendo, afinal de contas no fim ela vai ser a vadia e ele o pegador...
No fim, acredito que tem ambiente pra td e que, independente da sua opção sexual, a pegação em que ser mais escondidinha, e se for pra ser vista por td mundo, que seja num club de suingue né...

Anônimo disse...

Na verdade acho que o segredo de td é aderir fetiche ao sentimento machista de repulsa ao amor entre homens.
Entre mulheres td mundo acha um tesão, não é?! Pensemos o mesmo entre homens!

Anônimo disse...

Essa semana ouvi duas mulheres falando um monte de bosta sobre como é anormal ser "viadinho" ou "lésbica" e de como elas dariam as costas se os filhos fossem assim. Achei um absurdo, mas fiquei feliz em perceber que eu não era a única incomodada com o papo das duas sem noção. Só que a cereja do bolo se deu pelo comentário final delas concluindo que apesar de tudo "não era preconceito que elas tinham, só não concordam"... Acho isso o mais agoniante. Você tem chifre de capeta, rabo de capeta, e quer ser chamado de arcanjo?? POR FAVOR né?! Que admitam seus preconceitos, no mínimo isso!! Que tenham peito pra assumir a posição nojenta deles... Agora fazer de conta que não é preconceito é muita cara de pau e hipocrisia mesmo!

Anônimo disse...

SODOMA E GOMORRA


Anônimo disse...

Achei positiva essa pesquisa do Fantastico e acho que as pessoas aos poucos estao se acostumando com esta nova realidade. Nao podemos querer que da noite pro dia tudo mude. Nao tem como. Ha anos atras isso seria inconcebivel, nao existia da forma que existe hoje, entao e natural um processo de aos poucos a sociedade se acostumar e entender o direito dos homossexuais. Nao vi nada demais no programa, achei sinceramente super positivo. Se o seu amigo mesmo sendo gay ficou incomodado, isso so prova que todo mundo, ate ele, precisa se acostumar com a ideia....e isso nao e ruim nao, pelo contrario..bj

Alessandro disse...

Anônimo, também achei super positiva a pesquisa do Fantástico, pois ajuda as pessoas sacarem o quão idiota estão sendo quando agem com preconceito, não é? Os tempos estão mudando e torço para que os preconceituosos em breve vire minoria. :)

Anônimo disse...

eu não gosto. mas não gosto de ver nem hetero e nem homo. principalmente quando é pra marcar espaço, tipo uma mulher beija o namorado como se dissesse "este tem dono", acho ridículo.

Anônimo disse...

Casal se agarrando na rua...DESNECESSÀRIO.Hétero ou gay.
Giovanna

Gabriela Ribeiro disse...

Eu, na minha humilde opinião, acho que carícias como no vídeo, são muito bem vindas.
O problema é quando o casal se comporta como um desentupidor de pia. SÓ QUE isso é horrível tanto para um casal gay, quanto para um casal hétero.

lea disse...

não fica legal independente de ser homo ou hetero, existe lugares próprios pra isso ne? e qto ao teu amigo, eu acho que ainda tem mt homo que se sente incomodado em ver outro tendo esse tipo de atitude, não seria tb um preconceito???bjs

Anônimo disse...

Ainda não entendo como ainda existem pessoas que fazem essa distinção de grupos, acho simplesmente algo muito burro de se pensar, não faz o mínimo sentido. De qualquer forma, não acho que devam deixar de expressar sua opinião, todos tem esse direito, não acho legal essa inversão de valores. Odeio preconceito mas respeito opiniões divergentes das minhas; acho super válido quem não gosta assumir tal coisa, obviamente, sem desrespeitar ninguém. Quando incentivamos o contrário acabamos criando esses imbecis que não admitem o preconceito e tentam maquiar isso de qualquer forma. Eu acredito que a homofobia tem seus dias contados, os mais jovens estão cada vez mais aceitando essa realidade. Espero que assim seja!!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

As melhores peças com os menores preços para você.
Caso não esteja visualizando as imagens,acesse aqui
 
 
Duloren
Lançamentos Sutiãs Calcinhas Modeladores Diva Plus Size OQNV
Frete Grátis
Meu guia de lingeries
Chat Online
Central de Atendimento:
Para realizar qualquer troca de produtos, seja por causa do modelo, tamanho ou cor, não há custo adicional para a 1ª troca e a Duloren oferece um prazo de 30 dias após o recebimento do produto. Caso a nova peça seja de uma referência diferente da peça devolvida, será gerado um crédito no valor do produto a ser trocado para a realização de uma nova compra. Para saber mais, acesse Política de Troca ou Devolução.
Custo e Prazo de Entrega:
O frete é grátis para qualquer lugar do Brasil em compras acima de R$ 120,00.
Depois que o pagamento estiver confirmado, o envio do(s) produto(s) ocorrerá o quanto antes, mas o prazo depende de sua localidade. Para saber mais, acesse Entrega e Frete.
Formas de Pagamento:
As compras podem ser feitas em até 5 vezes sem juros em todos os cartões, com parcela mínima de R$ 30,00.
Trabalhamos também com outras formas de pagamento, como débito, boleto bancário e PayPal.

Sobre a Duloren:

A Duloren, líder de mercado em moda íntima no Brasil, fundada há 53 anos, tem um forte e consistente DNA que está baseado na produção de tecidos altamente tecnológicos com desenhos, rendas e elásticos exclusivos, acrescentado à tinturaria própria e à fabricação dos seus insumos. Para atender as mais diversificadas solicitações do mercado consumidor, a Duloren produz e comercializa hoje as marcas Duloren e Femmina.

Com capital 100%% nacional, produz cerca de 1,2 milhão de peças por mês. A Duloren orgulha-se de ser inovadora e estar na vanguarda da estratégia de mercado. Através de avançados planos de marketing, a empresa é reconhecida como pioneira da moda íntima, lançando coleções simultaneamente

Atenção:
Preços e condições válidas para a loja online da Duloren. As condições podem se alterar após o envio dessa mensagem.
Confira todas as informações sobre produto, preço, tamanho e cor antes de concluir a compra.
Caso haja diferença nos preços entre este e-mail e a loja online da Duloren, a condição válida e praticada será a da loja online. Os descontos são válidos durante o período de divulgação e dependem da disponibilidade de estoque.