RSSTwitter

quinta-feira, 24 de outubro de 2013


A primeira depilação a gente nunca esquece

Ah, como é bom dar um trato na periquita! Deixar a virilha lisinha, sem aquele aspecto “mata vigem intocada” parece que te deixa até mais leve! Mas quão constrangedora pode ser a primeira ida na depiladora? Sem falar na dor desumana que é impossível até de explicar? Não é fácil ser mulher…





Relatos da Primeira Depilação

"Tenta sim. Vai ficar lindo." 

Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve. 

Mas  acho que pentelho não pesa tanto assim. Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa. Eu imaginava que ia doer,  porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava  que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecológica-estética. 

- Oi, queria marcar depilação com a Penélope.
 
- Vai depilar o quê?
 
- Virilha.
 
- Normal ou cavada?
 

Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
 
- Cavada mesmo.
 
- Amanhã, às... Deixa eu ver...13h?
 
- Ok. Marcado.
 
Chegou o dia em que perderia dez quilos. Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui.
 
Assim que cheguei, Penélope estava esperando. Moça alta, mulata, bonitona.
 
Oba, vou ficar que nem ela, legal. Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado.
 
Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor. De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas.
 
Uma mistura de Calígula com O Albergue. Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
 
- Querida, pode deitar.
 
Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca.
 
Mas a Penélope mal olhou pra mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas.
 
Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Meu Deus, era O Albergue mesmo. De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.
 
- Quer bem cavada?
 
- É... é, isso.
 
Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
 
- Os pêlos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.
 
- Ah, sim, claro.
 
Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei. De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).
 
- Pode abrir as pernas.
 
- Assim?
 
- Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobra os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.
 
- Arreganhada, né?
 
Ela riu. Que situação. E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha Virgem. 
Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.
 
Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar.
 
Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expressão, para fingir que era tudo supernatural.
 
Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.
 
- Tudo ótimo. E você?
 
Ela riu de novo como quem pensa "que garota estranha". Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes. O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar Penélope.
 
Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer.
 
Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinhas.
 
- Quer que tire dos lábios?
 
- Não, eu quero só virilha, bigode não.
 
- Não, querida, os lábios dela aqui ó.
 
Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios ? Putz, que idéia. Mas topei. Quem está na maca tem que se fuder mesmo.
 
- Ah, arranca aí. Faz isso valer a pena, por favor.
 
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigail.
 
- Olha, tá ficando linda essa depilação.
 
- Menina, mas tá cheio de encravado aqui. Olha de perto.
 
Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas. Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. "Me leva daqui, Deus, me teletransporta".
 
Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.
 
- Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram um pelinhos, tá?
 
- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.
 
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la.
 
Mas mal sabia que o motivo para isso ainda estava por vir.
 
- Vamos ficar de lado agora?
 
- Hein?
 
- Deitar de lado pra fazer a parte cavada.
 
Pior não podia ficar. Obedeci à Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.
 
- Segura sua bunda aqui?
 
- Hein?
 
- Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.
 
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela estava De cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la. Fiquei pensando nela acordando à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
 
- Tudo bem, Pê?
 
- Sim... sonhei de novo com o cú de uma cliente.
 
Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cús por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos? E aí me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá? Fui impedida de desfiar o questionamento. Pê puxou a cera.
 
Achei que a bunda tivesse ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. 
Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais. Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo.
 
Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.
 
- Vira agora do outro lado.
 
Porra.. por que não arrancou tudo de uma vez? Virei e segurei novamente a bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.
 
- Penélope, empresta um chumaço de algodão?
 
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando pra quem?
 
Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.
 
- Terminamos. Pode virar que vou passar maquininha.
 
- Máquina de quê?!
 
- Pra deixar ela com o pêlo baixinho, que nem campo de futebol.
 
- Dói?
 
- Dói nada.
 
- Tá, passa essa merda...
 
- Baixa a calcinha, por favor.
 
Foram dois segundos de choque extremo. Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da perereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
 
- Prontinha. Posso passar um talco?
 
- Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
 
- Tá linda! Pode namorar muito agora.
 
Namorar...namorar. .. eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. 

Mas doía e incomodava demais.
 
Queria matar minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda,  protestar contra isso.
 
Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada.

Mas eu ainda estou na luta...

VALERIA SEMERARO (via O Caramelo)



Quem nunca??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... 

43 comentários:

Anônimo disse...

A gente sofre demais... Hauhauhauha!

Ana Paula disse...

HAHAHAHAHHAHHAH
Excelente!

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Muito bom Kaira!!!! Amei!!

Agora, sendo bem amiga: Faça definitiva! Até dói um pouco (menos que na cera sem duvidas), mas o bom é que realmente faz sentido. Fiz a mais de 5 anos e só agora começou a aparecer um ou dois pelinhos!!!
Recomendo altamente!!

Aline

Anônimo disse...

Fazendo a do contra, vou de Nanda Costa até a morte.

lea disse...

ah nem matando eu faço, vou de gilette mesmo e ta bom demais,

Anônimo disse...

Adorei o texto! Ri demais!

Janyara Alves disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morrir de riri

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri de rir!!!

Mto bom!

Anônimo disse...

kkkkkkkk muito bom, a minha primeira depilação tbm foi assim. Quem nunca.....

Giuliana disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK CHOREI!!!!Fiz a definitiva também e comparada a cera "não dói nada"hehe.Ah sou feminista e ela fica do jeito que eu quiser.

Cisma ♥ disse...

HAHAHAHAHA ti muiiito hahaha

Anônimo disse...

HAHAHAHAHA é muito sofrimento gente!

Anônimo disse...

Eu nunca! hahahaha
Depilo com cera as pernas, axilas, buço, mas virilha jamais!!! Sem chance, prefiro gilete mesmo. kkkkkk

Anônimo disse...

ah nem matando eu faço, vou de gilette mesmo e ta bom demais (2)

May disse...

kkkkkkkkkkk perfeito este texto!

Anônimo disse...

Rolando de rir...kkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Só fui uma vez pra nunca mais! kkkkkkkkkkkk verídica essa historia! mas verão to la eu de novo

Eloisa disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Socorroo!Ri demais! Acho que muitas meninas se encaixam pefeitamente nessa experiência, inclusive eu hahaahhahauhuahuauhauahu

Unknown disse...

como fazia tempo que eu nao ria assim
acho que todas nos na primeira sessao sofremos todos os horrores!

Anônimo disse...

Kkkkkk. Tentei e desisti! Voltei pra casa meia peluda e meia pelada!! Kkkkkk. Nunca mais!!!

Anônimo disse...

TERRÍVEL esse texto, só pq amannhã ta marcada minha depilação da virilha :~~


É DESSE JEITO, jesus!! O que me conforta é que a dor é só na hora de puxa o pêlo, imediatamente passa... E aquela maldita pinça, como eu odeeio!!!!!!!!!

kkkkkkkkkk

muito verídico esse texto! amei

Joana disse...

Todo mês vou ao salão porque em casa ñ tenho coragem! Depois que acostuma, nem dói mais! Na primeira vez parecia que tava rancando minha xereca fora, e o ânus então...

Anônimo disse...

Nossa, engracadissimo esse texto, chorei muito de dar risada :))

Aline Araújo disse...

kkkkkkkk quase morri de rir aqui...sempre tive vontade de testar a cera porque sempre depilei com gilete, mas tinha medo da dor e também do constrangimento agora acho que não vou querer cera de jeito nenhum. kkkkkk

Anônimo disse...

Por quê mesmo que eu estou rindo se eu passei exatamente por isso??? hehehe!
E apesar de toda a dor, todo o sofrimento, eu todo mês estou lá, fazendo o serviço completo.
Masoquista, eu? Talvez e com um tanto de vaidade.

Adorei o texto, e é por isso que eu nunca ri tanto dos detalhes de uma depilação íntima!
Parabéns!

Anônimo disse...

Hahahah...tinha lido essa já. É bem isso aí mesmo.

Tem esse outro relato aqui, me mato de rir com esse também: http://aventurasdomundomaterno.blogspot.com.br/2011/09/o-dia-que-eu-resolvi-me-auto-depilar.html

Também já tentei isso...

lili disse...

No pain no gain

Anônimo disse...

ZzzzZZZzzzZZzzzzZZZZZzzzzZZZ

yamilet morales disse...

kkkkkk

Carol disse...

Foi umas das coisas mais engraçadas que eu já li!!! Chorei de rir!! ahhashahshahahs

Anônimo disse...

haahaahahahahhah ri demais!!!

Anônimo disse...

Juro que na minha primeira vez eu fiquei morrendo de medo dessa dor, de que todas as minhas amigas depiladas falavam, mas eu não achei tão doloroso assim!! Não sinto muita dor ao depilar virilha e pernas, mas o buço... pqp! O buço só faço com creme depilatório, pq não dá!!
Sei que sou exceção, pois todo mundo diz que dói e eu não digo o contrário, só que não sinto a mesma dor!

Anônimo disse...

Matei de rir aqui hahahaha me identifiquei com a situação. No meu caso quase quinzenal...

Maíra Schmitz disse...

kkkkk quase morri rindo aqui. A primeira vez é impossível de esquecer! hehehe... mas calma! Venham para a depilação a laser que não terão que passar por isso nunca mais... kkk =)

Helena V. disse...

Ah! mas você não contou se gostou, se ficou bom... Conta, vai?
Hehehehe

Anônimo disse...

Esse texto é super antigo e rola na internet desde o falecido Orkut, fico pasma de postarem como se fosse novidade...rs

Anônimo disse...

Tem razão, o texto é muito antigo,mas sempre vale rir mais de uma vez da mesma piada.

Juliana Santos Barbosa disse...

Kaira, ri muito com essa postagem... Chega me deu crise de tosse. Minhas gargalhadas valeram pelo ano todo!! Muito massa.

Anônimo disse...

ZzzzZZZzzzZZzzzzZZZZZzzzzZZZ

#voltaalessandro

Marcia disse...

ah nem matando eu faço, vou de gilette mesmo e ta bom demais (3)

Anônimo disse...

Depois que descobri EMLA...faço em casa com cera quente mesmo.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk muito bom!!! ri horrores!!

Renata disse...

kkkkkkkk ameiii o textoo! Muitoo bom!!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

Vem comemorar a semana do Dia Internacional da Mulher
Caso não esteja visualizando as imagens,acesse aqui
 
 
Duloren
Lançamentos Sutiãs Calcinhas Modeladores Diva Plus Size Cuecas
Frete Grátis
Dia internacional da mulher
Aproveite
Chat Online
Central de Atendimento:
Para realizar qualquer troca de produtos, seja por causa do modelo, tamanho ou cor, não há custo adicional para a 1ª troca e a Duloren oferece um prazo de 30 dias após o recebimento do produto. Caso a nova peça seja de uma referência diferente da peça devolvida, será gerado um crédito no valor do produto a ser trocado para a realização de uma nova compra. Para saber mais, acesse Política de Troca ou Devolução.
Custo e Prazo de Entrega:
O frete é grátis para qualquer lugar do Brasil em compras acima de R$ 120,00. 
Depois que o pagamento estiver confirmado, o envio do(s) produto(s) ocorrerá o quanto antes, mas o prazo depende de sua localidade. Para saber mais, acesse Entrega e Frete
Formas de Pagamento:
As compras podem ser feitas em até 5 vezes sem juros em todos os cartões, com parcela mínima de R$ 30,00.
Trabalhamos também com outras formas de pagamento, como débito, boleto bancário e PayPal.

Sobre a Duloren:

A Duloren, líder de mercado em moda íntima no Brasil, fundada há 53 anos, tem um forte e consistente DNA que está baseado na produção de tecidos altamente tecnológicos com desenhos, rendas e elásticos exclusivos, acrescentado à tinturaria própria e à fabricação dos seus insumos. Para atender as mais diversificadas solicitações do mercado consumidor, a Duloren produz e comercializa hoje as marcas Duloren e Femmina.

Com capital 100%% nacional, produz cerca de 1,2 milhão de peças por mês. A Duloren orgulha-se de ser inovadora e estar na vanguarda da estratégia de mercado. Através de avançados planos de marketing, a empresa é reconhecida como pioneira da moda íntima, lançando coleções simultaneamente

Atenção:  

Preços e condições válidas somente para este e-mail, em compras na loja online da Duloren.
Promoção válida até 08/03/2017.As condições podem se alterar após o envio dessa mensagem.
Confira todas as informações sobre produto, preço, tamanho e cor antes de concluir a compra.
Os descontos são válidos durante o período de divulgação e dependem da disponibilidade de estoque.