RSSTwitter

quarta-feira, 10 de junho de 2015


Retratos - A História de travestis que não se prostituem

Até quis me pronunciar aqui sobre a polêmica da mulher transsexual crucificada na parada gay de SP, mas senti que a minha visão poderia ser distorcida e preferi me abster da dor de cabeça que aconteceria por conta disso. Só quero dizer que se ainda existe o enorme preconceito contra homossexuais, o preconceito multiplica  por mil com os transsexuais e os travestis, já que encontram repúdio até mesmo dentro da própria comunidade gay, e isso foi vivenciado esses dias, onde muitos não entenderam que a pessoa ali crucificada não estava blasfemando, denegrindo ou se comparando com Jesus Cristo. Apenas estava expondo como se sentem essas mulheres que são todo dia violentadas, assassinadas, apedrejadas e deixadas de lado por uma sociedade que só as deixam com uma única opção de trabalho para sobreviver: a prostituição.

E ver que ela foi tão criticada por todos os lados me deixou tão triste, tão decepcionado com as pessoas, Afinal, são essas mesmas pessoas que aplaudem e chamam de lindo, tesão, gostoso quando um Thiago Lacerda, um Luciano Szafir, um Fábio Assunção, um Carmo Dalla Vecchia, um Eriberto Leão, um Murilo Rosa, um Igor Rickli entram em cena como Jesus Cristo no espetáculo "Paixão de Cristo" de Nova Jerusalém. E digo isso porque já escutei tal exaltação acontecendo. 

Então, se  acham que a figura de Cristo foi profanada por conta de uma mulher fazendo alusão ao seu sofrimento na cruz de maneira séria, respeitosa e forte, dentro de uma manifestação com intuito de chamar atenção pela transfobia por qual passa todos os minutos de sua vida aqui na Terra, por favor me definam o que vem a ser a histeria coletiva de mulheres por conta de um galã global fazendo algo parecido num palco e mediante um gordo cachê? É isso que é respeitoso na representação de Jesus?

Os ensinamentos que aprendi sobre as mensagens que Jesus quis passar durante sua permanência no plano terrestre sempre foram de amor ao próximo, compreensão e perdão, nunca de jogar pedras nas outras pessoas. Mas parece que algo foi perdido no meio do caminho e o que vemos/temos hoje em dia é o egoísmo de só olhar para o próprio umbigo e a prática do ódio, apenas do ódio. Tal qual a intolerância da época em que Cristo esteve entre nós. E isso sim, será cobrado das pessoas algum dia.

Abaixo mostro um documentário bastante interessante, intitulado "Retratos", que mostra a vida de 6 travestis pernambucanas, onde elas contam um pouco de sua vida e de como conseguem ser umas das poucas exceções da regra de que todas precisam se prostituir para sobreviver.


Vídeo: Leo Tabosa


"Só não sou mais feliz porque as pessoas atrapalham a vida da gente. Usam Deus para condenar a gente. E Deus não é isso aí que o povo pinta, né?"


22 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, Alessandro ;D

Anônimo disse...

Lindas histórias de superação.
As pessoas só querem ser amadas e respeitadas como elas são.
Abaixo `a intolerância e ao preconceito.
Viva a diversidade.

apenas franca disse...

se vc soubesse o número de gays que odeiam travestis, vc iria se pasmar!
os mesmos gays que não suportam lésbicas!!!

MISTUREBA disse...

Belo texto!!!!

MISTUREBA disse...

Belo texto!!!!

Jéssica Brandão disse...

Eu ouvi algo no vídeo que resume a tudo que todos devem seguir: "Todo mundo deve respeitar a vida particular do outro!!!!"
Sensacional!!!

Anônimo disse...

Li sobre um projeto em algumas escolas do rio em que os alunos tem aulas de ética e respeito, achei muito interessante porque se trata de respeitar o ser humano independente de usas escolhas, e quanto as manifestações tem um pequeno detalhe, não falam sobre os ativistas, pessoas que ganham pra estar lá, que ganham pra enfiar um crucifixo no anus, e dizem que estão lutando por igualdade. Somos todos iguais, nunca soube de pessoas que foram pra parada gay enfiar uma bíblia, alcorão ou qualquer outra coisa guela abaixo de algum adepto a parada.

lilian moreira disse...

Ale, bom dia.

Já falei que lhe amo!

Entao, lhe amo!

Alessandro Araújo disse...

Anônimo, a questão do crucifixo no ânus não tem nada a ver com a parada gay, pois a imagem é da marcha das vadias de 2013, uma manifestação contra o machismo e outras opressões contras as mulheres, mas essa imagem foi colocada como sendo da parada gay por Feliciano e compartilhada por seus bitolados seguidores, que na ânsia de repudiar os homossexuais trazem à tona esse tipo de inverdade. A única imagem verdadeira dali é a da mulher trans crucificada. O restante ou são fotos das marcha das vadias ou são de manifestações de outros países, que não tem nada a ver com a realidade brasileira

Alessandro Araújo disse...

Lilian Moreira, também te amo! <3

Etiene disse...

Alessandro, tive a oportunidade de estudar com Lu nascimento, não no mesmo período.... Mas parece que ele foi expulso da faculdade :(

Jogos Vorazes disse...

O transexual quando escolheu aquela representação sabia exatamente o que queria, chocar o publico, toda a ideologia, sua causa ficou perdida pois polemicas apesar de terem muito espaço na mídia nunca são levadas a serio. Não foi algo inteligente a se fazer, simplesmente acho que há tantas outras formas de se expressar.

Anônimo disse...

o Interessante é que muitos dos que não toleraram a crussificação,são os que tiram sarro das outras religiões e doutrinas.Aprovam que quebrem imagens de santas,"essa aí tá com a pomba gira","Esse Chico Xavier tá com o demônio no corpo.".Enfim.não é generalizado,mas acho que pimenta no do * dos outros é sempre refresco.E Jesus não foi nem o primeiro nem o último a ser crucificado.(Se é que essa história existe mesmo).

Anônimo disse...

*crucificação*

Anônimo disse...

Top
Preguicinha de falso moralismo
Devemos RESPEITO a todos

o-rei-está-nu! disse...

...se a trava keria os 15 min. de fama, alcançou seu intuito e ainda me vem o deputado Jean W. Aí juntou a fome com a vontade de comer!!!

Paola Evangelista disse...

Adorei o vídeo... ver que elas conseguiram uma alternativa... não seguiram o caminho que até parece ser o único para os travestis....e li um comentário aqui...espero q Lu não tenha sido expulsa da facul =/ ela tava quase formando já pelo que falou.. já ia prestar novo vestibular

Gislaine disse...

Acho que está faltando Deus nos corações das pessoas, em países mais abastados que o nível de felicidade é maior que em outros países devido a boa condição econômica do pais os níveis de suicídio são altos, mais altos do que em países mais menos abastados, acredito que nossa alma precisa de Deus, sente sua falta, essa tristeza que muitas vezes achamos ser depressão pode ser saudades do pai(Deus), as vezes achamos que o dinheiro é tudo que precisamos, e nos esquecemos de Deus, criticam o evangélio mas não leem a bíblia talvez por medo de suas opiniões sem estrura e orgulho caírem por terra.

Anônimo disse...

Infelizmente aprendi a entender um pouco sobre aceitação quando perdi meu irmão mais velho que era homossexual. Nunca conversamos claramente sobre isso, apenas no fim de sua breve vida, quando ele desistiu de tudo.
Me emocionei muito com o vídeo, pois se minha família tivesse pelo menos respeitado suas escolhas em vez de fingir que ele não existia, talvez ele ainda estivesse aqui entre nós.
Sou cristã e mesmo crendo que Deus condena a homossexualidade (assim como qualquer outro pecado), imagino que dói muito mais esse conflito interno de quem passa do que de nós que estamos de fora.

Obrigada pelo vídeo Ale!
Abraços

Anônimo disse...

Já entrei pra ler os comentários triste pelo o que eu supunha que leria. Mas foi um sopro de esperança ver que a grande maioria das comentários foram sensatos e de pessoas que veem o SER HUMANO acima de qq diferença. Que bom!

Anônimo disse...

O depoimento da Manoela foi o mais verdadeiro. Os gays , os negros, etc, são rspeitados no Brasil quando possuem dinheiro! Infelizmente, no Brasil , as pessoas valem pelo que tem em sua conta bancária...a própria Manoela disse isso...que nunca teve problemas com preconceito e que aonde chega é bem recebida. Por isso acredito que os gays, os negros, as minorias, deveriam lutar para a educação e pela formação do povo em geral! Quanto aos outros, senti muita dignidade em seus depoimentos. Enfim, acho isso...

Anônimo disse...

Só vejo comparações infelizes. Os artistas quando usam da figura do Cristo estão num contexto artístico religioso, não num movimento totalmente contrário aos planos de Deus. Se a trans queria chamar atenção para sua dor deveria ter usado de outras formas, pois não convenceu e o efeito foi contrário.

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs