RSSTwitter

quinta-feira, 2 de julho de 2015


A sua voz na luta contra o preconceito

A "tradicional família brasileira" tende a minimizar o problema da homofobia em nosso país, acusando as pessoas que defendem a criminalização da mesma como "mimizentas" e ditadores gays, achando que os LGBTs não possuem o direito de reclamar os mesmos direitos de qualquer outro cidadão, assim como parecem esquecer que muitos deles morrem apenas por conta de sua sexualidade, tendo o Brasil a vergonhosa marca de figurar em primeiro lugar mundial de assassinatos homofóbicos.

Daí você diz: mas todo dia morre gente nesse país e não só gays! E é assim que você acha que vai ficar com a consciência tranquila quando essa violência atingir um amigo, parente ou até mesmo você? Já que a homofobia é um câncer que atinge até mesmo um pai abraçando o filho em público. Uma mãe andando de mãos dadas com sua filha nas ruas. Um amigo fazendo carinho em outro que não encontrava há tempos. O que mostra que essa luta também é sua. Acorde para isso já! Não feche os olhos perante essa barbárie!



Vídeo: CEDS 



Só é bom para um quando é bom para todos...



13 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia, o dia que começarem uma campanha contra a corrupção que mata sonhos, vidas, destrói famílias, valores, o dia que começarem uma campanha contra o estado islâmico que está fazendo barbaridades por ai, o dia que começarem uma campanha contra a miséria no mundo, o dia que começarem uma campanha pelas pessoas que abarrotam os hospitais á espera de um tratamento digno pro câncer, e muita vezes morrem sem conseguir sequer a chance de lutar, ai me chamem, quero participar!!!

Ligia disse...

Anônimo acredito de uma causa não cancela a outra. Mas concordo plenamente com esta crítica as pessoas "politizadas" somente para assunto "polêmicos/da moda".
A moda criticar redução da maioridade penal (redução que sou contra); antes desta o governo deu um corte de 19,3% na área da educação e que atinge heterossexual, homossexual, crianças, adultos, homens e mulheres de toda raça, cor e religião. Não houve qualquer manifestação.
Há uma briga pelo aborto, mas o corte da área da saúde, tudo bem...
E todos estes cortes vêm da corrupção, que vemos na tv, discutimos no supermercado, nas rodas de amigos e nem nos lembramos em quem votamos para deputado na última eleição.
Houve um movimento enorme pelo impeachment, dias depois tem a lei da terceirização votada em 2015, mas que tinha desde 2004 (PL 4330/2004) e nem antes nem depois as pessoas foram à rua, somente alguns sindicatos.
Como disse uma causa invalida a outra, mas ainda temos tanto que andar pelo coletivo, que estas campanhas se tornam deslocadas.

Alessandro Araújo disse...

Anônimo, bom dia. Tipo, na minha opinião seu comentário é típico de quem muito fala e pouco faz, desculpa a sinceridade. De todas essas coisas que você falou, você mesmo pode ajudar dando o primeiro passo. E como a Lígia bem comentou, uma causa não anula a outra. beijos

Ligia disse...

CORRIGINDO: Como disse uma causa NÃO invalida a outra, mas ainda temos tanto que andar pelo coletivo, que estas campanhas se tornam deslocadas. Se tivermos melhor educação, saúde e condições de vida, talvez nem precisemos de campanhas por estas outras causas, elas serão aceitas e entendidas naturalmente.

Anônimo disse...

Quem seria a tradicional família brasileira? Minha família de maneira geral, diria que é tradicional, e esses preconceituosos que não tem o que fazer não me representam, nem meu pensamento nem da minha família.

Anônimo disse...

Não é debochando dos cristãos (ex aquela transsexual sendo crucificada) ou profanando objetos religiosos que os gays conquistarão respeito.

Clarissa Peixoto disse...

Ué? Outro dia o site de fofoca falou que Gloria Pirez disse que o casal de lésbicas da novela não deveria ficar se beijando e tal....

Anônimo disse...

É tão fácil fazer um vídeo e "ler um texto" mas é tão difícil vc respeitar e mudar o seu jeito de pensar. Por isso que eu desprezo artistas com suas causas, e gente que fica aderindo a campanha. Gosto de quem faz!

Alessandro Araújo disse...

Clarissa Peixoto, naõ foi a Gloria Pires que disso isso não! Foi a Glória Menezes

Anônimo disse...

O primeiro comentário simplesmente reflete a pessoa inerte que fica esperando que os outros façam algo que, SE ela gostar, ela ajuda. Não faz nada e ainda reclama de quem faz.
Minha causa pessoal é a proteção animal. Milito por isso, faço campanhas, dôo meu dinheiro. Todos os dias eu chamo as pessoas para participarem, ajudarem. Vocês acham que eu tenho resposta? Quase nenhuma! Mas não me canso. Pois eu acredito em levantar a bunda da cadeira e fazer e não ficar esperando pelos outros.
E outra: mesmo com pouquíssimas respostas, sei como a divulgação faz diferença. Então quando surge uma Xuxa ou uma Luísa Mell reforçando a "modinha" da proteção animal, eu agradeço e não reclamo.
Então, quando os LGBTs fazem suas campanhas e todo mundo adere eu acho ótimo, pois sei que aquilo vai tocar positivamente ao menos uma pessoa. E já vale a pena.

Anônimo disse...

Concordo com o anonimo nr. 1... temos tantas classes prejudicadas, perseguidas e que sofrem, que dar prioridade aos homossexuais em detrimento daqueles, é ser no mínimo injusto.
Tem que ser respeitados? sim
Tem que lutar por aquilo que acreditam? sim
Mas não são os unicos nem os ultimos a sofrerem barbaries todos os dias.
Existem muitas outras massas precisando de atenção, como bem exemplificou o(a) colega.

Leona V. disse...

só héteros no video...

Alaide Carvalho disse...

Não fique calado diante de tanta injustiça. !!!

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

As melhores peças com os menores preços para você.
Caso não esteja visualizando as imagens,acesse aqui
 
 
Duloren
Lançamentos Sutiãs Calcinhas Modeladores Diva Plus Size OQNV
Frete Grátis
Meu guia de lingeries
Chat Online
Central de Atendimento:
Para realizar qualquer troca de produtos, seja por causa do modelo, tamanho ou cor, não há custo adicional para a 1ª troca e a Duloren oferece um prazo de 30 dias após o recebimento do produto. Caso a nova peça seja de uma referência diferente da peça devolvida, será gerado um crédito no valor do produto a ser trocado para a realização de uma nova compra. Para saber mais, acesse Política de Troca ou Devolução.
Custo e Prazo de Entrega:
O frete é grátis para qualquer lugar do Brasil em compras acima de R$ 120,00.
Depois que o pagamento estiver confirmado, o envio do(s) produto(s) ocorrerá o quanto antes, mas o prazo depende de sua localidade. Para saber mais, acesse Entrega e Frete.
Formas de Pagamento:
As compras podem ser feitas em até 5 vezes sem juros em todos os cartões, com parcela mínima de R$ 30,00.
Trabalhamos também com outras formas de pagamento, como débito, boleto bancário e PayPal.

Sobre a Duloren:

A Duloren, líder de mercado em moda íntima no Brasil, fundada há 53 anos, tem um forte e consistente DNA que está baseado na produção de tecidos altamente tecnológicos com desenhos, rendas e elásticos exclusivos, acrescentado à tinturaria própria e à fabricação dos seus insumos. Para atender as mais diversificadas solicitações do mercado consumidor, a Duloren produz e comercializa hoje as marcas Duloren e Femmina.

Com capital 100%% nacional, produz cerca de 1,2 milhão de peças por mês. A Duloren orgulha-se de ser inovadora e estar na vanguarda da estratégia de mercado. Através de avançados planos de marketing, a empresa é reconhecida como pioneira da moda íntima, lançando coleções simultaneamente

Atenção:
Preços e condições válidas para a loja online da Duloren. As condições podem se alterar após o envio dessa mensagem.
Confira todas as informações sobre produto, preço, tamanho e cor antes de concluir a compra.
Caso haja diferença nos preços entre este e-mail e a loja online da Duloren, a condição válida e praticada será a da loja online. Os descontos são válidos durante o período de divulgação e dependem da disponibilidade de estoque.