RSSTwitter

quarta-feira, 15 de julho de 2015


Sexualidade e Ignorância

No cenário atual da nossa repressora sociedade, anda sendo fácil, fácil ler/escutar termos como "heterofobia" da parte de pessoas que enrustem o seu preconceito contra os LGBTs, ou argumentos falhos de que o preconceito não existe, mas que eles tem um opinião diferente sobre a sexualidade, não é verdade? Sem falar que tem aquelas outras pessoas que dizem que tudo é 'mimimi' e homofobia hoje em dia, esquecendo que o preconceito não precisa ser apenas quando os gays sofrem uma agressão física, pois palavras, muitas vezes, ferem da mesma forma.

Duvidam disso? Pois catem o projeto "Sexualidade e Ignorância", produzido pelos estudantes da Jornalismo Júnior, empresa dos alunos de jornalismo da ECA-USP (Universidade de São Paulo), que foram para as ruas  colher depoimentos de vítimas de homofobia, pedindo para que os mesmos escrevessem em cartazes o que já escutaram de pessoas próximas falarem para eles acerca de sua sexualidade, e o resultado, meus queridos, é de uma violência tamanha!




































Fotos: Carolina Tiemi e Natalie Majolo


19 comentários:

Carolina M. disse...

Uma coisa triste é notar que homem não pode parecer mulher, pq ser mulher é quase pejorativo. E mulher tem q ser femme, senão é sapa... Mundo difícil, esse mundo... Machismo e LGBTfobia andam de mãos dadas.

Anônimo disse...

Parem de colocar a sexualidade como identidade do indivíduo, como se a pessoa precisasse tornar público seus gostos sexuais para se sentir cidadão. O ser humano é aquilo que o caráter e a personalidade querem ser, e se ele é digno, será sempre respeitado, independente dos gostos sexuais.
Ficar pensando só na sexualidade deixa claro que essa discussão gay é egocêntrica e egoísta, e toda satisfação sexual é egoísta.
Trate de ser uma pessoa melhor, um cidadão melhor, sem se preocupar só com a sexualidade.
Todo gay digno é respeitado, porque ele existe primeiramente como pessoa, antes de ser reconhecido como gay (vide Clodovil).
ALESSANDRO, PARE DE DEFENDER ESSA CAUSA GAY O TEMPO TODO E PROCURE CRESCER COMO PESSOA. Estude mais, trabalhe, ame o próximo, que serás respeitado.

Anônimo disse...

Mas, anonimo acima, a sexualidade é sim uma das identidades do indivíduo. Nas irretocáveis palavras de andrew solomon, teríamos alcançado a maturidade quando as pessoas pudessem ser " gays sem ênfase", uma vez que ninguem QUER ficar alardeando, reivindicando. As pessoas seriam, gays, negros, anoes, mulheres, transexuais, o que fosse, tranquilamente e pronto. Infelizmente, ainda temos um longo caminho, seja para gays ou qualquer outro grupo com IDENTIDADE alvo de prconceito e ignorância. Ainda nao da pra ter a semana da humildade gay.

Natália disse...

Interessante o comentário do anônimo do segundo comentário. É por sua causa que existem posts como este. Sexualidade não seria um assunto tão em evidência se as pessoas primeiramente respeitassem os outros, independentemente da prova de sua dignidade segundo suas concepções, até mesmo porque alguém com estas palavras, se colocando como pessoa evoluída certamente presume a dignidade de todos sem qualquer distinção. Palavras imperativas em caixa alta demandando mudança de atitude porque descompassam de sua opinião é o motivo pelo qual pessoas mais esclarecidas continuam a defender a mudança de paradigmas opressores, como o seu. Só pra esclarecer, "a dignidade é um valor espiritual e moral inerente à pessoa, que se manifesta singularmente na autodeterminação consciente e responsável da própria vida e traz consigo a pretensão ao respeito por parte das demais pessoas [...] de modo que, somente excepcionalmente, possam ser feitas limitações ao exercício dos direitos fundamentais, mas sempre sem menosprezar a necessária estima que merecem todas as pessoas enquanto seres humanos." Quem disse isso foi Alexandre Morais, Doutor em Direito do Estado e um dos maiores constitucionalistas no Brasil. esse trecho foi retirado do livro Direitos Humanos Fundamentais, recomendo a leitura para "crescer como pessoa".

Natália disse...

Ops... Errei ali, é Alexandre de Moraes.

Anônimo disse...

fiquei com preguiça da Natália...aff...discurso chato pra carai...
entendi o que a segunda opinião tentou transmitir, apesar de discordar em partes.

Anônimo disse...

Que horror falar assim com as pessoas, a empatia é zero. Viver em sociedade não é isso.

Alessandro Araújo disse...

Anônimodas21:58, enquanto existir pessoas como você que acha que a causa gay é somente sexo ou que é "mimimi", continuarei defendendo a causa gay, assim como defendo o machismo, o racismo ou qualquer outra tribo que se sente oprimida. Sua visão é tão estreita que só focou na sexualidade como se fosse algo egoísta? Jura? Logo abaixo estou falando sobre racismo e diversas vezes defendi a causa da mulher,mesmo não sendo uma! Quem está precisando crescer é você, já que tem enxergado as coisas apenas para ser do contra! A questão do preconceito gay existe, não é algo inventado! E é para pessoas cegas assim que pretendo continuar batendo na tecla até quando isso um dia mudar! Passar bem

Anônimo disse...

Mulher com mulher não faz filho. Homem com homem não faz filho. Biologia. Qual o problema nesta frase? Ninguém tem nada a ver com a vida dos outros e cada uma faz o que quer. Mas negar a biologia não dá.

Alessandro Araújo disse...

O problema dessa frase é óbvio: quando é usada como pretexto para esconder o preconceito. Até porque tem muita mulher com homem que também não faz filho :)

Anônimo disse...

Sim, mulher com mulher nao podem fazer um filho, entao porque ficar repetindo o obvio? Como se isso fosse justificativa pra ter preconceito... Nao fazem e podem adotar, amar, assim como casais hetero que muitas vezes nao podem ter filhos, ou muitas vezes nem deveriam. Papo de biologia, aff, quem é que esta negando o que? Vc acha q a pessoa com cartaz ta negando? Serio q vc acha q é isso q ela quer dizer?

Anônimo disse...

fiquei com preguiça da Natália...aff...discurso chato pra carai...
entendi o que a segunda opinião tentou transmitir, apesar de discordar em partes. [1]

Sou alvo de preconceito por causa de minha religiao e vou pedir meus conhecidos que professam a mesma fé que eu, que saiamos com cartazes tambem, ilustrando as inúmeras ofensas de que somos alvo.

Marcia Baratto disse...

Último anônimo, o que está te impedindo? Preguiça de lutar por seus direitos? Levanta a bunda da cadeira e vem para rua.

Agora os preconceitos que você sofre te autorizam a ser um babaca com os demais?

Quem não luta, se ferra. Simples assim.

Anônimo disse...

Assisti um documentário na TV escola, sobre dois homens que se travestiram por um tempo, e fizeram a cirurgia de mudança de sexo, eles tem por volta dos seus 65, 70 anos, e umas das coisas que eles disseram é que depois da cirurgia se arrependeram, depois de um tempo passado, foi como se caíssem em si, o nome de um deles é maicon, e ele disse: "Sou homem, isso q sou", vi também outros casos semelhantes, de pessoas que fizeram e se arrependeram, acho que precisamos nos aproximar mais de Deus, ser pessoas bem resolvidas, felizes, em paz. Será que não tem alguma coisa desencaixada, será que o mundo não ta doente?

Anônimo disse...

Nao, ser homossexual ou transexual, querer mudar de sexo, nada disso é doença ou "desencaixe", vc q é preconceituoso. Pegou um caso isolado

Anônimo disse...

Gostei, marcia baratto.

Anônimo disse...

fiquei com preguiça da Natália...aff...discurso chato pra carai...
entendi o que a segunda opinião tentou transmitir, apesar de discordar em partes. [2]

"Mulher com mulher não faz filho. Homem com homem não faz filho. Biologia. Qual o problema nesta frase?" O problema nessa frase está em usarem a mesma para justificar a homofobia, mas quando esses casais querem ter filhos, eles ADOTAM os FILHOS de MULHER COM HOMEM que supostamente deveriam amar incondicionalmente e ser responsáveis pelos filhos gerados né...

Anônimo disse...

Ué, casais hetero também adotam, aliás, são a maioria absoluta dos casais adotantes! Muitos desses casais ~mesmo podendo gerar filhos naturalmente, mesmo já tendo seus filhos~ vão lá e adotam! Maior 'prova' de amor e responsabilidade não há. Ainda tem que se levar em conta que crianças em casas de adoção é fundamentalmente um problema socioeconômico ;)

Anônimo disse...

Me desculpem mas o problema socioeconômico é de gente que faz filho esperando os outros adotarem. Eu optei por não ter filhos por não ter condições financeiras e agora a responsabilidade dos filhos dos outros é minha?? Senta lá Cláudia...

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

Vem comemorar a semana do Dia Internacional da Mulher
Caso não esteja visualizando as imagens,acesse aqui
 
 
Duloren
Lançamentos Sutiãs Calcinhas Modeladores Diva Plus Size Cuecas
Frete Grátis
Dia internacional da mulher
Aproveite
Chat Online
Central de Atendimento:
Para realizar qualquer troca de produtos, seja por causa do modelo, tamanho ou cor, não há custo adicional para a 1ª troca e a Duloren oferece um prazo de 30 dias após o recebimento do produto. Caso a nova peça seja de uma referência diferente da peça devolvida, será gerado um crédito no valor do produto a ser trocado para a realização de uma nova compra. Para saber mais, acesse Política de Troca ou Devolução.
Custo e Prazo de Entrega:
O frete é grátis para qualquer lugar do Brasil em compras acima de R$ 120,00. 
Depois que o pagamento estiver confirmado, o envio do(s) produto(s) ocorrerá o quanto antes, mas o prazo depende de sua localidade. Para saber mais, acesse Entrega e Frete
Formas de Pagamento:
As compras podem ser feitas em até 5 vezes sem juros em todos os cartões, com parcela mínima de R$ 30,00.
Trabalhamos também com outras formas de pagamento, como débito, boleto bancário e PayPal.

Sobre a Duloren:

A Duloren, líder de mercado em moda íntima no Brasil, fundada há 53 anos, tem um forte e consistente DNA que está baseado na produção de tecidos altamente tecnológicos com desenhos, rendas e elásticos exclusivos, acrescentado à tinturaria própria e à fabricação dos seus insumos. Para atender as mais diversificadas solicitações do mercado consumidor, a Duloren produz e comercializa hoje as marcas Duloren e Femmina.

Com capital 100%% nacional, produz cerca de 1,2 milhão de peças por mês. A Duloren orgulha-se de ser inovadora e estar na vanguarda da estratégia de mercado. Através de avançados planos de marketing, a empresa é reconhecida como pioneira da moda íntima, lançando coleções simultaneamente

Atenção:  

Preços e condições válidas somente para este e-mail, em compras na loja online da Duloren.
Promoção válida até 08/03/2017.As condições podem se alterar após o envio dessa mensagem.
Confira todas as informações sobre produto, preço, tamanho e cor antes de concluir a compra.
Os descontos são válidos durante o período de divulgação e dependem da disponibilidade de estoque.