RSSTwitter

quarta-feira, 29 de junho de 2016


Dia Internacional do Orgulho Gay

E é em meio a intolerância, o preconceito, a homofobia e o ridículo agir da tradicional família brasileira, assim como também de muitos religiosos, que hoje comemoramos mais um Dia Internacional do Orgulho Gay. Data essa que não nos traz tanta alegria com tanta merda acontecendo entre pessoas que não respeitam a diversidade e acham que os gays querem "privilégios", quando na verdade o que se deseja é ter os mesmos direitos que qualquer outro cidadão, nem mais e nem menos. Mas parece ser mais fácil para essa gente fechar os olhos para um mundo que tem infinidade de problemas, tais como pobreza, moradia, fome, educação, violência, segurança, e focar toda sua amargura, rancor, ou qualquer outro sentimento ruim, tão somente para os gays. 


Então não! Realmente hoje não tem nada do que se comemorar tanto assim. O que podemos fazer é continuar essa árdua batalha contra a intolerância e tentarmos fazer com que as gerações futuras consigam se educar o suficiente para respeitar e amar o seu próximo, sem julgamentos e exercendo de verdade os mandamentos de Deus. E não essa hipocrisia disfarçada que sentimos todos os dias.
























 

9 comentários:

Anônimo disse...

Vejo vc com muito rancor Alê, eu imagino que seja difícil viver o dia a dia cercado de preconceito, mas em relação a isso podemos, ao invés de exasperar, emitir amor, compreensão, paz para estas pessoas. Acho que é disso que o mundo preciso.
E um beijo no seu coração!

Anônimo disse...

Anônimo acima: fica difícil ter compreensão com quem não os compreende, aliás, onde o cerne da questão é a falta de empatia, compreençao e paz, né? Ninguém quer q haja "revide", "briga" , nada disso. Mas como ser indiferente à tanto preconceito / intolerância/ burrice?

Anônimo disse...

Boring

Anônimo disse...

Boa tarde,
Espero que você querido Alê e nem os leitores me entendam mal.
Sou leitora do blog desde o início, porém não sou muito de comentar, mas tem algum tempo que leio suas postagens sobre homossexuais e sinto vontade de expor a minha opinião.
Você sempre fala de preconceito, homofobia e intolerância e acho que isso tem que ser realmente discutido, mas há algo que me incomoda não só aqui, quando alguém expõe de forma respeitosa não concordar com o homossexualismo e são taxados de preconceituosos e tudo mais, como se a obrigação fosse a unidade de pensamento. Quanto a isso, quero me explicar:
Acredito que existem pessoas que gostam de ter todos os tipos de prazeres sexuais e cada um é dono de seu próprio nariz e acredito também que os homossexuais nascem com interesse em pessoas do mesmo sexo. Minha posição é que todos merecem respeito e, principalmente, merecem ter os mesmos direitos que qualquer pessoa, independentemente da sua sexualidade.
Como experiência pessoal, estou ajudando judicialmente e gratuitamente um trans a mudar de nome e me compadeço de seu sofrimento.
Só queria esclarecer que acho preconceituoso e intolerante quando as pessoas tratam de forma desrespeitosa, com agressividade, violência e tantas outras tragédias que acontecem com essas pessoas.
Não acho que sou preconceituosa simplesmente porque exponho minha opinião. Sou evangélica e por acreditar nos ensinamentos bíblicos não concordo com o homossexualismo (mesmo sabendo que não é questão de escolha), assim como acredito que devemos amar ao próximo e a Deus, entre outras lições. Não sou dona da verdade e posso mudar de opinião.
Sou amiga de gays sim e eles sabem dessa minha posição, careta ou não, mas nunca os desrespeitei, ouço as histórias de relacionamentos, enfim são amigos comuns e me indigno junto com eles quando lhes são negados direitos em virtude de sexualidade.
Não sei se me fiz entender, mas resumindo, o simples fato da minha opinião ser contrária não significa que sou preconceituosa ou intolerante.
Bjo pra você e todos os leitores.

Alessandro Araújo disse...

Entendo o que você quis dizer, porém o preconceito não se mostra apenas na violência, tanto física quanto verbal, acerca da homossexualidade (homossexualismo não existe)das pessoas, mas também na falta de aceitação ou da questão de enrustir como opinião. A gente deve pensar sempre assim: o que fulano, sicrano faz com sua sexualidade é da minha conta? Resposta: NÃO. O que eu faço da minha sexualidade diz respeito a fulano ou a sicrano? Mesma resposta: NÃO. Então não tenho o que opinar sobre essa questão, assim como não desejo que ninguém opine sobre a minha. No dia que o ser humano colocar isso na cabeça, as coisas devem melhorar. Enquanto isso não acontece, vamos vivendo na intolerância, disfarçada ou declarada

Chocolícia Brown disse...

A parada de Brasília foi em homenagem às vítimas da boate de 0rlando!

Kelli disse...

Desejo o respeito e a paz entre todos. É sinceramente não acredito em amizades quando vc não aceita a pessoa como ela é. Na minha opinião quem diz gosto de vc MAS...... amizade é (pra mim) respeito e gentileza

Lúcia disse...

Amar ao próximo não significa ter que partilhar as mesmas opiniões.
Amo sim, não concordo, não me meto, escuto, rio junto, choro junto, me irrito junto quando alguém verbaliza ódio para homossexuais ou agride ou até mesmo se mete aonde não é chamado.
Tenho amigos homos que são extremamente queridos. Fui madrinha do casamento de 2 deles por amor a eles e por achar que eles também tem o direito e de amarem e serem felizes da forma que convir. Embora não aprove, não é da minha conta. Vejo os normais (sim, acreditem, tem gente que vê homossexuais como aberrações), sou super a favor da adoção, também sou evangélica e sou contra dizer que fulano e sicrano não pro céu ou não.
Até porque o céu é todos que declaram e acreditam que Jesus Cristo é o único Senhor e Salvador, independente da religião, independe dos hábitos, independente dos gostos.
Não posso me colocar no lugar de quem sofre esse tipo de preconceito (homofobia), mas posso ter empatia por eles e me colocar no lugar do ser humano que está sofrendo por intolerância.
Enfim... paz e amor é o continuo a desejar a todos.

Danae disse...

Não se pode concordar ou deixar de concordar com a homosexualidade, tem que se respeitar e ponto final, que maneira de quererem opinar, concordar, discordar com uma opção que é simplesmente pessoal.

Postar um comentário

Apimente bem gostoso com o seu comentário, gostando ou não do que foi publicado, mas tente ao menos ser coerente e educado na opinião dada, visse? Eu não sou obrigado a escutar desaforos no meu espaço e te devolvo o baile com gosto de gás! rsrsrsrsrs

toptherm
Top Therm
Top Therm
Top Therm
Top Therm